projetos e patrocinadores

PROAC

Lei que apóia todos os tipos de projetos culturais com base no Imposto do ICMS dentro do estado de São Paulo apenas. Tem lei do ICMS em outros estados também.

 

Esta página é para você patrocinador que procura projetos para patrocinar.

 

Temos projetos da lei ROUANET, PROAC-ICMS, ESPORTE, ANCINE, ECONOMIA CRIATIVA / ECO SUSTENTÁVEL.

 

CADASTRO PARA O PATROCINADOR SOLICITAR PROJETOS

Queremos ajudar você e facilitar sua vida.


AVISO AOS PROPONENTES E PRODUTORES: Envie seu projeto!

Abaixo, em cada imagem você clica e escolhe o projeto que você quer. Peça mais informações dos projetos.
Depois de escolher o projeto para patrocinar, se for o caso, ligue: 11- 3333-2226 / 7174-7487 ou envie-nos um email fultime@fultime.com.br

 



Lei que apóia todos os tipos de projetos culturais com base no Imposto do ICMS dentro do estado de São Paulo apenas.


Lei que apóia todos os tipos de projetos culturais com base no Imposto de Renda dentro do Brasil.




Direto sem leis de incentivo.








Eco Sustentáveis.


BLOGS: DIÁRIO DA ERA DIGITAL

Nº 01


Segmento do projeto ( X ) audiovisual  

Título do projeto: Blogs:Diários da era digital

Local do projeto e nome do local: cinemas 

Região do projeto / município / estado: São Paulo

Valor do projeto:   R$  100.000,00 (cem mil reais)    

 Temáticas:    (X )multimídia 

Explicação do projeto: O projeto Blogs - diários da era virtual é um programa de TV dividido em 3 capítulos de 26 minutos cada um, em que retrata o universo da blogosfera e suas particularidades.

Sinopse / resumo / comentário:  Os programas revelam quais as implicações do uso do blog no comportamento de uma sociedade contemporânea, dentro do processo de comunicação atual e permitem conhecer melhor os blogs, suas formas de composição, os blogueiros e suas realidades fora da tela.

Outros detalhes do projeto: Programa de TV

Estimativa de público e perfil:  50 mil pessoas,das classes A, B, C.

Plano de Mídia: A divulgação do programa será por meio das mídias sociais e através de inserções na grade de programação da TV.

Cotas de patrocínio: Cota única de patrocinio.

Benefícios oferecidos ao patrocinador: Doação de 50 DVDs do programa para instituições de ensino universitário; Criação de um blog com informações a respeito do projeto, entrevistados, sinopses do programa; Fotos e press-book (material para imprensa); Logomarca do patrocionador no início do programa;  Criação de compartilhamento “curtir” na rede social Facebook; Divulgação do programa via twitter dos produtores;Veiculação numa TV aberta; Agradecimento ao patrocinador em entrevistas, sempre que possível.

Tipo de incentivo: ( X ) Proac- ICMS/SP    

?

PONTO -BR

Nº 02


Segmento do projeto:    Música

Gênero:   (x) música  

Título do projeto: Ponto Br – ICMS

Local do projeto / nome do local:   (  ) livraria  (x ) teatro (x ) praças ( ) cinemas ( x ) outros/ indique nome: escolas, pontos de cultura, comunidades.

Região do projeto / município / estado: São Paulo (SP), Campinas (SP), Iguape (SP), Ubtauba (SP),  São José dos Campos (SP), Ribeirão Preto (SP), São Carlos (SP).

Valor do projeto:  R$ 143.630,00 (cento e quarenta e três mil, seiscentos e trinta reais )

Temáticas: Social, música, tradições populares.

Explicação do projeto:onto br é um coletivo formado por músicos contemporâneos e mestres da cultura tradicional, que propõe o espaço da arte como local de encontro e diálogo possíveis entre vertentes e gerações, onde diferenças estéticas, temporais, sociais são harmonizadas revelando uma outra via para o fazer artístico.

 Experimentando saberes e sonoridades destas tradições, suas possibilidades formais, texturas vocais e instrumentais e o raciocínio estético proposto pelos mestres, o show na eira tem como resultado uma sonoridade única e atemporal.

O grupo reúne alguns dos principais mestres da nossa cultura tradicional como Mestre Humberto do Bumba Boi de Maracanã; Mestre Walter do Maracatu Estrela Brilhante do Recife e Mestra Zezé Menezes da Casa Fanti Ashanti, em diálogo com a paulistana Renata Amaral, o pernambucano Eder “O” Rocha, o suíço Thomas Rohrer e o maranhense Henrique Menezes, músicos sediados em São Paulo, que trabalham com grupos e artistas como DJ Dolores, Ivaldo Bertazzo, Zélia Duncan, Nação Zumbi, Mestre Ambrósio, Zeca Baleiro e Chico Cesar, entre outros.

Sinopse / resumo / comentário:  

 O Projeto pretende realizar 9 apresentações do espetáculo Na Eira, do Ponto br, nas cidades de São Carlos, São José dos Campos, Suzano, Iguape, Ribeirão Preto, Ubatuba, São Paulo, todas no estado de São Paulo,  sempre apresentado com entrada franca ou a preços populares.

 Realizar, nas mesmas cidades, 18 oficinas de gêneros populares brasileiros. As oficinas, que atendem a um público cada vez mais interessado em nossas tradições, oferecem uma experiência direta com seus principais mestres, permitido uma rara oportunidade de aprendizado para músicos, educadores e público em geral.

 O projeto propõe uma ação integrada de formação de público através da realização de espetáculos e oficinas, tendo como foco o diálogo com nossas tradições populares.

 Graças à entrada franca a todas as atividades, a uma estratégia diferenciada de divulgação, à organização de horários compatíveis com os transportes públicos, apresentando um espetáculo de alta elaboração e fácil fruição, o projeto busca ampliar o acesso físico e intelectual do público a todas as atividades.

O projeto traz em seu cerne o comprometimento com a democratização ao ter como foco a cultura tradicional, necessariamente democrática porque feita à margem da mídia, das oficialidades, dos modelos estéticos vigentes. Oferecendo estas atividades gratuitamente, buscando a formação de multiplicadores ao estender as ações ao circuito universitário e promover oficinas para educadores, o projeto visa democratizar o acesso à cultura, promover a capacitação crítica do público e fomentar o entendimento de nosso patrimônio cultural.

 

Os municípios atendidos foram selecionados pelo potencial de multiplicação e continuidade do projeto através de seu público alvo. Cidades com grandes pólos universitários, com grande número de comunidades tradicionais, Secretarias de Cultura interessadas em parcerias com o projeto, escolas com atividades musicais como bandas e fanfarras, além de Pontos de Cultura e outras redes culturais já contatadas, irão garantir bons resultados ao projeto.

Outros detalhes do projeto:

Cocos, Cirandas, Maracatus, Tambor de Mina, Bois, Rojões e Carimbós são alguns gêneros que compõe o repertório do espetáculo, que explora diversas possibilidades deste diálogo com o uso de bases pré gravadas e recursos cênicos de dança. As oficinas de Bumba Boi, Maracatu Nação e Caixa do Divino, são ministradas pelos Mestres.

 Cantado por seus mestres geração após geração, este repertório se funde, se adapta, se particulariza, e tem como resultado ‘hits’ atemporais, filtrados pelo tempo, esculpidos pela memória. São melodias e ritmos matrizes da nossa música urbana, e por terem influenciado significativamente a formação de gêneros como o samba, o forró e outros, são facilmente assimilados, e através da memória coletiva acessamos referências nas quais reconhecemos nossa identidade cultural

Formado em 2002 a convite do Festival Wemilere (Cuba), Ponto br se apresentou em diversos espaços e festivais em São Paulo, representou o Brasil no Karagöz Festival (Turquia), e circulou por diversas cidades de São Paulo premiado pelo PROAC. Patrocinado pela Petrobras, o grupo lançou em 2010 o CD Na Eira em 6 estados, sendo assistido por mais de 15 mil pessoas, com vagas esgotadas em todas as oficinas

O espetáculo Na Eira é uma investigação estética fundamentada em uma longa convivência com estas comunidades, sua cultura, seus guardiões, em pesquisas que já renderam dezenas de registros em CD e documentários destas manifestações. O universo das tradições populares ficou tão afastado da vida urbana do séc XXI, que cada brasileiro que se depara essas manifestações experimenta inevitavelmente uma redescoberta da própria identidade cultural, social e política. Ponto br transita sem conflitos entre estes universos revelando “os Brasis aos brasileiros”, e propiciando sua vivência em grandes centros urbanos

Das oficinas:

A oficina de Maracatu Nação, manifestação remanescente dos cortejos de coroação dos reis de Congo, uma das principais expressões da tradição pernambucana. Ministrada por Mestre Walter França, chefe do baque centenário do Maracatu Estrela Brilhante do Recife, um dos maiores do estado.

A oficina de Bumba Boi é oferecida por Mestre Humberto de Maracanã, considerado um dos maiores compositores e cantadores de Bumba Boi de todos os tempos, e líder do Boi de Maracanã, comunidade centenária que é o mais conhecido grupo tradicional do estado.

A oficina de Caixa do Divino, ministrada pela Mestra Zezé Menezes, caixeira régia de diversos festejos no Maranhão, oferece a vivência dos toques e cânticos de uma das expressões mais populares da influência portuguesa em nossa cultura tradicional

Estimativa de público e perfil , ( quantidade e perfil ):

 PREVISÃO DE PÚBLICO

Oficinas: 540 pessoas

Espetáculos: 4.500 pessoas

Site: cerca de 35.000 acessos

 

Plano de Mídia: Cite quais mídias você usará: jornal, se é rádio, filipetas, cartazes; e quantidade de inserções, etc.

Assessoria de Imprensa: Realizada pela ECOAR – Escritório de Comunicação e Artes, se dará durante todo o projeto observando as características específicas das mídias locais, a fim de obter resultados significativos em mídia espontânea.

Material gráfico: 225 Cartazes (42x30cm couchê F180g) e 18.000 convites/postais (10x15cm couchê F150g) distribuídos em locais estratégicos de afluxo do público alvo.

Mailing eletrônico: E-Flyers enviados para um mailing list de aproximadamente 130 mil pessoas, com o apoio da Rede Nacional de Pontos de Cultura e do Ponto de Cultura Convergência Digital

Prospecção e divulgação direta em comunidades de tradições populares, escolas de música, escolas públicas, cooperativas, associações e Pontos de Cultura.

Divulgação em redes sociais (Facebook, Twiter),

Cotas de patrocínio: Cite em quantas partes está dividido o valor do projeto e como deverá proceder o patrocínio.

Uma cota: R$ 143.630,00 – Patrocínio exclusivo – APRESENTA

Duas cotas: R$ 71.815,00 – Patrocínio

Benefícios oferecidos ao patrocinador: Cite o que você oferece ao patrocinador, se for o caso, além de cotas de patrocínio.

 Logomarcas da Empresa aplicadas em todas as peças gráficas de divulgação (cartazes, postais/convites, programas, banners) na página frontal e na contracapa.

Logomarcas aplicadas na página inicial do site (www.ponto.mus.br).

 Banners com as logomarcas afixados em local de destaque nos espaços das oficinas e espetáculos.

 Autorização de uso dos registros do projeto para uso institucional da Empresa, conforme regulamento do edital.

 Divulgação do patrocínio em toda oportunidade de divulgação do projeto, inclusive press-releases de imprensa e entrevistas em quaisquer meios

 Realização de nove (9) espetáculos e dezoito (18) oficinas gratuitas em oito (8) cidades brasileiras.

 Cota de 10% dos ingressos para todos os espetáculos para distribuição interna do patrocinador.

Tipo de incentivo: ( x ) Proac- ICMS/SP?

OS GORDOS TAMBÉM AMAM

Nº 03


Segmento do projeto:  (x )artes cênicas

Gênero:  (x )teatro  

Título do projeto:  Os Gordos Também Amam

Autor / adaptação: Miriam Palma

Direção /  coordenação: Marcos Loureiro

Associação / Grupo / Clube / Cia:

Local do projeto e nome do local:    (x)teatro

Região do projeto / município / estado: São Paulo – S.P.

Valor do projeto:   R$180.774,00    ( Cento e oitenta mil setecentos e setenta e quatro reais)

Temáticas: ( )meio ambiente  (  )reciclagem  (x )educação  (  )3ª idade  (  )mulher  (  )Infantil  (x )saúde  ( )arte   ( )outros / indique

Explicação do projeto: O projeto cumprirá 24 apresentações no teatro Brigadeiro.

Sinopse / resumo / comentário: A comédia conta a saga de Zulema, uma gordinha como tantas outras que passa pelas agruras do excesso de peso e Vanderlei, um gordinho bem resolvido que sabe das delícias de ser o que é. Zulema, cansada de sua condição e vítima de descriminação social e no trabalho, tem a ajuda de seu vizinho Vanderlei, um quase super herói, defensor dos obesos e gordinhos. Os dois transitam pelo universo das dietas, academias e spas e se defrontam com um mundo feito para magros.  

Outros detalhes do projeto:

Estimativa de público e perfil: Atinge as clasess A, B e C a partir dos 12 anos de idade.  Publico estimado durante a temporada: 12.000 pessoas.

Plano de Mídia: Banner no teatro, jornais Folha e Estadão, Rádio Nova Brasil FM e Alpha. Filipetas e cartazes.

Cotas de patrocínio: Cite em quantas partes está dividido o valor do projeto e como deverá proceder o patrocínio.

Benefícios oferecidos ao patrocinador: 70 lugares por sessão, divulgação da logomarca em todos os materiais gráficos e de divulgação, mailing list será oferecido ao patrocinador, 01 sessão fechada.  As empresas poderam tb realizar ações de sampling e utilizar o foyer do teatro para as mesmas. Video antes do inicio do espetáculo com a divulgação das empresas, agradecimentos ao final do espetáculo. As empresas também poderam sortear para o publico ações que migrem o público teatral para as empresas.

Tipo de incentivo: (x)Proac- ICMS/SP?

LUISA SE CHOCA CONTRA SUA CASA

Nº 04


Segmento do projeto:   ( X )artes cênicas

Gênero:  ( X)teatro  

Título do projeto: Luisa se Choca Contra Sua Casa

 Local do projeto e nome do local:   (  )livraria  (X)teatro ( )praças ( )cinemas (  )outros/ indique nome.

 Região do projeto / município / estado: São Paulo-SP

 Valor do projeto:    Valor aprovado Lei Rouanet: R$ 292.975,00 (Duzentos e noventa e dois mil,    novecentos e setenta e cinco reais).Valor aprovado PROAC: R$ 210.190,00 (Duzentos e dez mil, cento e noventa reais).

 Temáticas: (X) Contemporânea

Explicação do projeto:

O projeto é uma coprodução entre a Cia Vilma Diamante (Buenos Aires) e Cia D Teatro (São Paulo) e tem como objetivo a montagem brasileira deste texto em São Paulo. Luísa se Choca Contra a Sua Casa é um espetáculo teatral escrito e dirigido por Ariel Farace, e foi originalmente produzido para o Festival Internacional de Buenos Aires pela Cia Vilma Diamante. Ariel Farace, dramaturgo e diretor, é um dos grandes expoentes do teatro contemporâneo argentino e recebeu pela obra o prêmio Trinidad Guevara nas categorias Direção e Cenografia. A peça fez um grande sucesso na Argentina, permanecendo mais de dois anos em cartaz e participando de diversos festivais nacionais e internacionais. E certamente enriquecerá a cena teatral paulistana com sua linguagem contemporânea e moderna.

Sinopse / resumo / comentário:  

Sinopse: Luísa perdeu seu amor num trágico acidente de moto. Sua vida se fechou em sua casa, compras no supermercado, frases que ecoam no rádio e na memória, e em sua relação com seu mordomo com quem divide suas observações sobre a vida e a morte. Esse “mordomo” é uma figura meio homem meio sabão em pó, fazendo alusão a como depositamos confiança e cumplicidade a um produto. Dentro desse cenário que criou para si mesma, Luísa vai construir uma trajetória de entendimento, conhecimento e aceitação da realidade, que não conseguiu mais encarar depois de uma perda. É a trajetória simbólica do processo da perda e da descoberta do valor da vida.

Outros detalhes do projeto: O projeto foi comtemplado pelo Prêmio Iberescena 2012. O Iberescena é um fundo de ajuda internacional (América Latina e Espanha) que premia projetos inscritos que tenham excelência artística e relevância para serem realizados.

Estimativa de público e perfil:  

Quantidade de Público estimado: 2.880 pessoas (36 apresentações).

Perfil do Público: Classes A e B  jovem/meia idade.

Plano de Mídia: 

- Mídia Impressa (Jornais, Revistas e Guias especializados):R$ 20.000,00

- Cartão Postal 5000 unidades: R$ 1.250,00

- Folder/Programa do Espetáculo 2880 unidades: R$ 576,00

- Banner/Faixa Adesiva/Faixa de lona/Pórtico: R$ 1.000,00

Cotas de patrocínio:

 

PROAC

Crédito “Apresenta”

Cota Máster

Valor de investimento: R$ 210.190,00

 

Crédito “Patrocínio”

Cota Única

Valor de investimento: R$ 126.000,00

 

Crédito “Copatrocínio”

Valor de investimento: R$ 75.000,00

 

Crédito “Apoio Cultural”

Valor de investimento: R$ 20.000,00

 

    LEI ROUANET

Crédito “Apresenta”

Cota Máster

Valor de investimento: R$ 292.975,00

 

Crédito “Patrocínio”

Cota Única

Valor de investimento: R$ 176.000,00

 

Crédito “Copatrocínio”

Valor de investimento: R$ 100.000,00

 

Crédito “Apoio Cultural”

Valor de investimento: R$ 20.000,00

 Benefícios oferecidos ao patrocinador Proac e Rouanet:

 Contrapartida Patrocinador Master

PROAC: Patrocínio Cultural no Valor de R$ 210.190,00 (Duzentos e dez mil e cento e noventa reais).

Rouanet: Patrocínio Cultural no Valor de R$ 292.975,00 (Duzentos e noventa e dois mil, novecentos e setenta e cinco reais). 

• Presença do patrocinador na apresentação do espetáculo durante temporada de três meses.

• Inserção com exclusividade da logomarca na parte superior do material gráfico (mídia impressa, programas, convites, banners e fachada do teatro);

• Cessão de 1 (um) espetáculo fechado para convidados da empresa;

• Cota de ingressos distribuídos durante a temporada;

• Citação do patrocinador em áudio antes de cada apresentação;

• Citação do patrocinador em todo material de assessoria de imprensa;

• Uma apresentação por semana com intérprete em LIBRAS. 

Contrapartida Cota Única

PROAC: Patrocínio Cultural no Valor de R$ 126.000,00 (Cento e vinte e seis mil reais).

Rouanet: Patrocínio Cultural no Valor de R$ 176.000,00 (Cento e setenta e seis mil reais). 

• Inserção da logomarca com exclusividade na parte superior do material gráfico (mídia impressa, programas, convites, banners e fachada do teatro);

• Cessão de 1 (um) espetáculo fechado para convidados da empresa;

• Cota de ingressos distribuídos durante a temporada;

• Citação do patrocinador em áudio antes de cada apresentação;

• Uma apresentação por semana com intérprete em LIBRAS. 

Contrapartida Copatrocínio

PROAC: Patrocínio Cultural no Valor de R$ 75.000,00 (Setenta e cinco mil reais).

Rouanet: Patrocínio Cultural no Valor de R$ 100.000,00 (Cem mil reais).

 

• Inserção da logomarca sem exclusividade no material gráfico (mídia impressa, programas, convites, banners e fachada do teatro);

• Cessão de 1 (um) espetáculo fechado para convidados da empresa;

• Cota de ingressos distribuídos durante a temporada;

• Citação do patrocinador em áudio antes de cada apresentação. 

Contrapartida Apoio Cultural

PROAC: Apoio Cultural no Valor de R$ 20.000,00 (Vinte mil reais).

Rouanet: Apoio Cultural no Valor de R$ 20.000,00 (Vinte mil reais). 

• Inserção da logomarca sem exclusividade no material gráfico (mídia impressa, programas, convites, banners e fachada do teatro);

• Cota de ingressos distribuídos durante a temporada;

• Citação do patrocinador em áudio antes de cada apresentação; 

Tipo de incentivo: (X)Proac- ICMS/SP?

ENGOLINDO SAPO PARA UM DIA COMER PERERECA

Nº 05


Segmento do projeto:X )artes cênicas

Gênero:  ( X )teatro  

Título do projeto: Engolindo Sapo pra um dia comer Perereca

Autor / adaptação: Renato Scarpin

Direção /  coordenação: Maritta Cury e Renato Scarpin

Associação / Grupo / Clube / Cia: Renato Scarpin e Maritta Cury

Local do projeto e nome do local:   (  )livraria  ( X)teatro ( )praças ( )cinemas (  )outros/ indique nome

Região do projeto / município / estado: São Paulo

Valor do projeto:   R$ 179.360,00  (cento e setenta e nove mil trezentos e sessenta) 

Temáticas: ( X )outros / entretenimento com crítica comportamental e social.

Explicação do projeto:

A dificuldade em encontrar textos inéditos com uma boa qualidade de humor, além dos altos custos para uma produção de um texto clássico, fez com que Renato Scarpin escrevesse seu próprio texto.

ENGOLINDO SAPO PRA UM DIA COMER PERERECA já traz no seu título um tipo de resumo ou pelo menos já dá uma ideia do que se trata.

Todos vivenciamos situações cotidianas que aos olhos dos outros se tornam engraçadas, porém aos do protagonista da cena, tais situações são tão somente constrangedoras e/ou infelizes.

Relações entre casais, entre parentes, entre estranhos, entre o cidadão e o Estado fazem parte da vida de qualquer um. A questão é: como reagimos a essas relações? Como nos vemos nessas relações? O que aprendemos dessas relações?

A resposta a essas perguntas são a principal meta do espetáculo.

Sinopse / resumo / comentário:  

ENGOLINDO SAPO PRA UM DIA COMER PERERECA é um espetáculo solo de humor que intercala momentos de ‘cara limpa’ com personagens inusitadas. Renato Scarpin retrata, de forma hilária, situações cotidianas do mundo moderno. Escancara a tragicomédia de pagar impostos no Brasil e usar serviços eletrônicos, além das diversidades e idiossincrasias das relações entre casais, amigos, família, chefes ou funcionários, enfim, a intrigante relação humana.

Objetivos

Hoje verificamos que comédias têm sido um grande atrativo quando o assunto é a busca de entretenimento. Dessa forma, nossos objetivos são:

- Viabilizar a continuidade da temporada de um espetáculo que tem qualidade e grande aceitação popular;

- Incrementar um maior trânsito de pessoas em salas de teatro;

- Fidelizar público;

- Incentivar, através do humor, a opção “teatro” como entretenimento a novos públicos;

- Proporcionar a auto-reflexão do público através de críticas sociais;

- Induzir as pessoas a uma melhor relação consigo mesma e com o mundo à sua volta através da identificação;

- Divertir de forma inteligente;

- Propor novos conceitos de pensamento com a apresentação de personagens instigantes.

Justificativa do Projeto

“ENGOLINDO SAPO PRA UM DIA COMER PERERECA” teve sua pré-estreia em dezembro de 2009. No ano de 2010, realizou tournée pelo interior de SP e a partir de novembro de 2011 iniciou temporada no Teatro Ruth Escobar, a qual se estende até hoje.

 

Todavia, os custos de aluguel de teatro e divulgação impedem o crescimento do espetáculo, já que hoje a peça se apresenta em uma sala de apenas 60 lugares.

 

Nossa intenção é ampliar a capacidade de público, realizando o espetáculo na sala Dina Sfat, no teatro Ruth Escobar, que tem capacidade de 400 lugares, mas, para tanto, tal empreitada só será possível através de patrocínio direto ou via Proac.

Vale ressaltar que não contemplamos neste projeto cachês como os de: diretor, autor, sonoplasta, iluminador, figurinista, cenógrafo, custos de ensaio, alimentação e transporte, entre outros, uma vez que tais custos já foram quitados anteriormente.

Entretanto, custear a temporada em teatro de maior capacidade com recursos próprios ou obter patrocínio direto, têm se tornado, até o momento, impraticável.

Acreditamos que, por isso, justifica-se a nossa intenção em pleitear recursos para viabilizar o crescimento do nosso espetáculo, pois acreditamos que, após esse aporte, nos tornaríamos independentes e auto-sustentáveis, o que nos possibilitaria proporcionar entretenimento e cultura com um humor crítico, sem deixar de ser popular, incentivando assim, cada vez mais, uma maior freqüência ao teatro.

Outros detalhes do projeto:

Em ENGOLINDO SAPO PRA UM DIA COMER PERERECA o ator Renato Scarpin faz uma ácida, porém bem-humorada, crítica à política de impostos do Brasil; às dificuldades de usar o sistema bancário self-service; satiriza as divergências de postura de um casal e da relação entre familiares; entre outras coisas. O ator brinca com o mundo moderno e todas as suas peculiaridades. Revela situações que todos nós passamos, mas nunca paramos para pensar em seu lado cômico, mostra de forma hilária as diversidades e idiossincrasias nas relações entre casais, amigos, família, chefes ou funcionários, enfim, a intrigante relação humana.

Intercalando esses momentos de sátira e descontração, o ator interpreta 3 personagens improváveis. Fritz, um soldado alemão nazista “muito inteligente” que se casou com uma judia sem perceber e que, também sem notar, é vítima da vingança diária dela por causa do holocausto. Nicanor, um idoso que tenta aprender computação com seu neto, mas encontra todas as dificuldades de se dominar uma nova tecnologia e linguagem tão distantes de sua geração. E, por fim, Marigreides, ou apenas Maria, uma empregada louca e atrapalhada que entende tudo errado e que sempre acha que acaba sendo demitida porque os patrões sim são loucos.

Um espetáculo divertido, para todas as idades, com muita crítica social embutida entre uma risada e outra, impossível não se identificar com as atitudes e situações retratadas. O público terá a sensação de ver algo novo, não apenas mais um Stand-up; e sim um show de humor com um texto rico, inovador, inteligente e muito engraçado.

Estimativa de público e perfil:  TEMPORADA: 3 de AGOSTO a 25 de NOVEMBRO de 2012, de SEXTA a DOMINGO, em horário nobre no Teatro Ruth Escobar – Sala Dina Sfat, com capacidade de 390 lugares. Total de 51 apresentações. Público estimado in loco: 12.000 (doze mil) espectadores. Todas as classes sociais, a partir de 14 anos e sem limite de idade.

Plano de Mídia: anúncio semanal na Folha de São Paulo; inserções semanais em rádios de grande audiência; mídia diária em redes sociais; entrevistas em programas de TV / Rádio / Revistas / Jornais / Sites, devido à grande abertura do ator com os veículos de comunicação.

Cotas de patrocínio: SISTEMA DE COTAS Até 10 cotas de R$ 17.936,00 cada Patrocínio Exclusivo, Patrocínio, Co-

Patrocínio e Apoio Cultural: - A empresa que comprar as 10 cotas tornar- se-á PATROCINADORA EXCLUSIVA; - A empresa que comprar de 5 a 9 cotas tornar-se-á PATROCINADORA; - A empresa que comprar de 1 a 4 cotas tornar-se-á CO-PATROCINADORA; - A empresa que comprar frações de 1 cota tornar-se-á APOIADORA CULTURAL.



Benefícios oferecidos ao patrocinador: 

Seu logotipo em todo material gráfico ou de mídia: com maior ou menor destaque, conforme cota de investimento;

Nomeação na locução que antecede o espetáculo. Ex: Esta peça é patrocinada por X, tem co-patrocínio de Y, e o apoio cultural de Z;!

Citação da empresa para mais de 5 mil pessoas em redes sociais, SEMANALMENTE;

Registro no site do ator Renato Scarpin com o link direto para o site da empresa. Atualmente, o site é visitado em média por 2.500 pessoas/mês;

Divulgação da empresa como incentivadora de cultura pra nossos mailings, que contam com mais de 4 mil e-mails;

Citação em entrevistas dadas pelo ator à imprensa;

Desconto especial para funcionários, clientes e seus acompanhantes;!

Cota de ingressos cortesia para cada apresentação, até o fim da temporada;

Conforme interesse, a possibilidade de ações promocionais no hall do teatro;

Uma APRESENTAÇÃO GRATUITA e fechada de pré-estreia para os convidados da empresa.

Tipo de incentivo: ( )Proac?

VIRA-LATAS DE ALUGUEL

Nº 06


Segmento do projeto: (x) artes integradas

Gênero:  (x)teatro   (x) outros / oficinas de capacitação.

Local do projeto e nome do local:   (x) outros / Comunidade de Heliópolis – CINE FAVELA

Região do projeto / município / estado: Zona Sul – São Paulo - SP

Valor do projeto: R$ 249.870,00 (duzentos e quarenta e nove mil oitocentos e setenta reais –PROAC ICMS) e R$ 245.930,00 (duzentos e quarenta e cinco mil novecentos e trinta reais – Lei Rouanet)    

Temáticas: (x)educação (x)arte  

Explicação do projeto: 

O projeto “Vira-Latas de Aluguel” trabalhará com capacitação e inclusão artística por meio da realização de oficinas de interpretação de texto, corpo, voz, interpretação, produção, cenário e figurino para 22 jovens da Comunidade de Heliópolis-SP, hoje com mais de 150 mil habitantes distribuídos em 1 milhão de m2.

   

O resultando será a criação coletiva do espetáculo teatral VIRA-LATAS DE ALUGUEL, que entrará em cartaz na própria Comunidade, o que permitirá que Heliópolis “abra suas portas” a um público que não faz parte do seu dia-a-dia, proporcionando um maior intercâmbio de ideias e experiências e contribuindo para a desmistificação do conceito de "favela" por parte daqueles que não moram nelas. 

Por fim, esclarecemos que todas as atividades contempladas neste projeto, oficinas e peça teatral, serão oferecidas gratuitamente. Com isto, trabalharemos para a formação de novos públicos e comprovaremos que ações desenvolvidas em camadas com baixa oferta de atividades culturais obtêm grande êxito de público e de resultados, contribuindo para a integração social e cultural.

Sinopse / resumo / comentário:  

O projeto “Vira-Latas de Aluguel” tem como eixo central a realização de oficinas de capacitação teatral para jovens residentes na Comunidade de Heliópolis-SP, sendo que o resultado final destes encontros será a criação coletiva do espetáculo VIRA-LATAS DE ALUGUEL.

A peça será encenada dentro da Comunidade Popular de Heliópolis-SP, em um espaço que será selecionado pela equipe de produção, com atores e técnicos oriundos da Comunidade, tendo como ponto de partida o filme RESERVOIR DOGS (Cães de Aluguel), de Quentin Tarantino. Vale destacar que o referido filme é apenas a mola propulsora, a inspiração, o ponto de partida do trabalho, mas o espetáculo, resultado das oficinas, não será uma adaptação desta obra para o teatro.

O filme será “desconstruído” em busca de um resultado com "cores" locais, que revelem suas próprias contradições, conflitos e formas de expressá-los. A dramaturgia, que será construída em conjunto com os alunos, incluirá o trabalho dos atores, a busca estética que melhor reflita o processo e, sobretudo, a investigação da linguagem própria desses personagens.

Além do trabalho artístico-cultural, este projeto tem por premissas a inclusão social e democratização do “fazer teatral”, possibilitando o surgimento de novos talentos, a troca de informações e, para alguns, a possibilidade de descoberta de um novo ofício.

Vale ressaltar que as oficinas, ministradas por profissionais qualificados e experientes, beneficiarão 22 jovens e terão duração de 6 meses, permitindo-lhes praticar e desenvolver as atividades ligadas ao “fazer teatral” sem precisar sair de sua Comunidade.

Outros detalhes do projeto: Não se aplica

Estimativa de público e perfil: 

OFICINAS:

Moradores da comunidade de Heliópolis, de ambos os sexos, com idade superior a 16 anos, pertencentes às classes C e D. Para 22 pessoas.

DO ESPETÁCULO:

Adolescentes, jovens e adultos que costumam frequentar atividades culturais;

Moradores de comunidades populares que não têm o hábito/oportunidade de ir aos grandes centros para assistir a espetáculos teatrais.

Total de público previsto: 2.000 pessoas.

Plano de Mídia:

As ações de comunicação do projeto Vira-Latas de Aluguel incluem:

Assessoria de imprensa;

Contratação de assessoria de imprensa para potencializar a divulgação nas diversas mídias;

Redes Sociais: Página do projeto nas principais redes sócias – Facebook, Twitter, Gloogle + e Orkut;

Site:Completo com fotos, vídeos e um blog. Será atualizado diariamente contando passo a passo todas as etapas do projeto. Banner do PATROCINADOR na home page;

Material Gráfico:

Confecção de material gráfico: 4 banners , 400 cartazes, 10.000 cartões postais, 300 convites, 1.500 folderes, confecção de fotos para divulgação (englobando as oficinas e apresentações);

Mídias;

Veiculação das oficinas e apresentações na internet em tempo real;

Veiculação do projeto nas redes sociais;

50 posições para cinema em formato digital;

Confecção de viral, visita de monitores a escolas públicas da região incentivando os alunos a participarem das oficinas e, posteriormente, assistirem ao espetáculo.

entre outras.

Cotas de patrocínio: 04 cotas.

Benefícios oferecidos ao patrocinador:

A PATROCINADORA poderá:

Citar o patrocínio do projeto em suas campanhas e peças de comunicação institucional;

Utilizar imagens do projeto.

A PATROCINADORA terá sua MARCA:

Em todo o material gráfico e Promocional;

No sítio eletrônico do projeto e em todas as pág. de redes sociais.

CONTRAPARTIDAS INSTITUCIONAIS

Menção da marca como “APRESENTADORA” do espetáculo, antes do início de cada apresentação.

No topo do material gráfico confeccionado para divulgação:  folders, cartazes, banners, cartões postais e no convite de abertura do projeto com o crédito “Convida”.

Na home page do site oficial do projeto, que exibirá as oficinas e as apresentações em tempo real , com o crédito “Apresenta” e links na home tanto para o site da empresa patrocinadora como para instituto ou fundação da mesma, caso possua.

Nas redes sociais, com o crédito “Apresenta”.

 Menção do patrocinador como apresentador em todas os releases de imprensa, comunicados e entrevistas sobre o projeto.

Os realizadores deverão também estar disponíveis para entrevistas em matérias jornalísticas de veículos acionados pela patrocinadora.

Caso haja interesse, um representante da empresa patrocinadora poderá  abrir a primeira apresentação do projeto.

Cessão de relatórios comprobatórios das contrapartidas acordadas, assim como informações, por meio de clipping eletrônico, sobre o andamento do projeto.

Banners individuais randômicos da empresa no site oficial do “Vira-Latas de Aluguel”.

Três apresentações exclusivas para públicos de interesse da empresa patrocinadora.

CONTRAPARTIDAS MERCADOLÓGICAS

Possibilidade de divulgação dos produtos da empresa em stand exclusivo no local das apresentações (Comunidade de Heliópolis – SP).

Outras ações podem ser desenvolvidas mediante a negociação entre proponente e patrocinadora.

Tipo de incentivo: (x)Proac- ICMS/SP  ( x)Lei Rouanet?

MOVA-SE PARA ARTE

Nº 07


Segmento do projeto:  ( X )artes integradas

Gênero:  ( X )teatro  

Título do projeto: MOVA SE PARA ARTE

Local do projeto e nome do local:   (  )livraria  ( )teatro ( )praças ( )cinemas   )outros/Projeto Social-Centro Educacional Rebouças

Região do projeto / município / estado:Região Metropolitana de Campinas,Município de Sumaré /SP

Valor do projeto:   R$ 60.478,00 (Sessenta mil,quatrocentos e setenta e oito  reais).

Temáticas: (X )educação   (X)arte   ( )outros / indique

Explicação do projeto: Projeto direcionado a realização de oficinas de dança como instrumento educativo, tendo com base a normativa da Lei de Diretrizes e Bases - LDB (Lei nº 9394/96), considerando que há ainda uma precariedade no que se refere ao ensino da arte oferecido na educação regular.

No entanto identifica-se a dança como sendo uma modalidade pouco explorada, seja na escola, seja em outros processos educacionais, os quais tem sido o foco de algumas organizações do terceiro setor, cuja suas atividades estão direcionadas a educação integral, incluindo a arte e cultura.

Para tanto o Centro Educacional Rebouças – CER, conforme suas finalidades estatutárias vem desenvolvendo alguns projetos referente ao fazer cultural e atualmente executa o projeto Mova-se para a arte,oferecendo oficinas de teatro,dança,musica e desenho artístico direcionado a 120 crianças e adolescentes.

O Projeto Mova se para arte prevê a realização de oficinas de dança contemplando aulas teóricas e práticas, sendo que estas ocorrerão 2 vezes por semana em 02 turmas (manhã e tarde),sob orientação de um professor específico. 

Sinopse / resumo / comentário: 

 O CER atualmente executa o Projeto Mova se para arte, com atividades direcionadas as áreas de música, dança, teatro e desenho artístico.Todavia tal projeto orçamentado no valor de R$ 137.000,00 está sendo executado com recurso proveniente da premiação Itaú Unicef, através  da certificação ocorrida em novembro de 2011,sendo que a entidade recebeu o valor de R$ 80.000,00, o que requereu algumas adequações no orçamento previsto,reduzindo a carga horária das oficinas de 02 vezes ,para 01 vez semanal,comprometendo o desempenho das atividades, visto o curto período.

Portanto entende-se que a dança chama atenção dos participantes, visto que temos observado o empenho do publico atendido, além de que identificamos que esta modalidade contribui efetivamente para o desenvolvimento das crianças e adolescentes em relação à proposta educativa do CER.

Com isso a equipe técnica vem se empenhado na captação de recurso a fim de garantir o custeio de projetos específicos. E para tanto se justifica a necessidade do recurso a fim de executar o projeto Mova se para arte com enfoque para a dança.  

Outros detalhes do projeto: 

OBJETIVO GERAL

Promover o desenvolvimento sociocultural, assistencial e apoio educacional para 120 crianças e adolescentes e seus familiares, contribuindo para a formação de cidadãos integrados à vida social, ética, familiar. Além de promover a cultura como um direito social, garantindo aos partícipes o acesso ao fazer cultural, desenvolvendo valores e melhoria das capacidades físicas, motoras e cognitivas.

OBJETIVO ESPECÍFICO

? Contribuir para a redução dos índices de marginalidade e diminuição dos riscos sociais no território de atuação institucional;

? Valorizar a cultura, em suas diferentes expressões como dimensão fundamental do desenvolvimento, aprofundando a reflexão sobre o papel do artista na sociedade e sua responsabilidade na superação das desigualdades;

? Refletir sobre a atuação de artistas que pela qualidade de seu trabalho e por seu compromisso de cidadão se tornaram ou podem se tornar referência qualificada de uma arte como “ação cultural a serviço da libertação dos homens e das mulheres” (Paulo Freire);

? Valorização do indivíduo como ser pensante e ativo na sociedade;

? Contribuir para o desenvolvimento da expressão corporal, favorecendo a produção coletiva de conhecimento da cultura;

? Promover a relação da dança com outras linguagens artísticas; 

Estimativa de público e perfil: Atender 120 crianças e adolescentes de 06 a 14 anos, atendidas nos projetos sociais desenvolvidas pelo o proponente.O publico em sua maioria corresponde a populações de baixa renda,ou em situação de vulnerabilidade social.

Plano de Mídia: Midia interativa (email,facebook),rádio,banner e outros)

Cotas de patrocínio:Repasse em Cota única ou valor total dividido em 12 meses.

Benefícios oferecidos ao patrocinador: Cite o que você oferece ao patrocinador, se for o caso, além de cotas de patrocínio.

Tipo de incentivo: ( X )Proac- ICMS/SP?

MALANDRO BELEZA – REMINISCÊNCIAS CARIOCAS

Nº 08


Gênero: crônicas 

Título: “Malandro Beleza – reminiscências cariocas”

Autor: Nilo Marques Braga

Local de lançamento: Rio de Janeiro e São Paulo - capitais

Local de distribuição: livrarias de todo o Brasil

Valor do projeto: R$ 97.306,00  (aprovado pela Lei Rouanet e Lei do ISMS – RJ)

Tipo de incentivo: Proac-RJ e Rouanet

 Ficha técnica (currículo resumido): autor do livro 

      Nascido em 11 de agosto de 1931, morou até a adolescência na Rua General Pedra, paralela à Avenida Presidente Vargas, ao lado dos trilhos da Central do Brasil. Quando menino, o espaço que tinha para brincar era a Praça Onze. Percorria os seus quatro cantos, vendo tudo o que acontecia por ali: final dos desfiles dos Ranchos, desfiles das Grandes Sociedades, início dos desfiles das Escolas de samba, rodas de batuque e encontros para cantar Partido Alto. Durante a juventude, nas grandes cervejarias e nos movimentados cafés conheceu inúmeras personalidades boêmias. Nas gafieiras, a começar pela Banda Portugal, na Praça Onze, conheceu famosos bailarinos. Finalmente encontra os malandros, suas estórias e suas mulheres e a falsa e a verdadeira malandragem que eram, sem dúvida, uma escola de vida.

      Torna-se jornalista, no final dos anos 50, iniciando carreira na grande escola que foi o jornal Diário Carioca. Exerce a profissão durante 45 anos, trabalhando em inúmeros jornais, revistas, agências de notícias e em assessorias de imprensa de empresas públicas. Aposentou-se no Ministério dos Transportes – DNER, onde editou a revista Rodovia durante cinco anos. No Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro – TCMRJ foi nomeado para o cargo em comissão de Secretário II – 2003 / 2004.

      Ligado ao samba, nos anos 50 e 60, frequentou as reuniões da Associação das Escolas de Samba, na Rua Joaquim Palhares, que terminavam com a apresentação de compositores e músicos ligados às escolas. Em 1960 cria, com o advogado Antonio Barroso, o Grupo Raízes, que apresentava a velha e a nova guarda do samba e tinha entre os seus participantes/convidados: Candeia e Walter Rosa, da Portela; Aniceto de Menezes, Milton Copolino, D.Yvone Lara e Aluisio Machado, do Império Serrano; Cartola, Padeirinho, Darcy da Mangueira e Pelado, da Mangueira; Martinho da Vila, de Vila Isabel. O Grupo sobreviveu até o final de 1964, no Clube Orfeão Portugal, na Tijuca.

      Atualmente escreve esporadicamente matérias para algumas revistas e jornais. Nos últimos 2 anos tem se dedicado a finalizar o livro em questão, que há cerca de um ano vem tentando editar, primeiramente inscrevendo o projeto nas leis de incentivo: Lei Rouanet (aprovado com publicação no D.O.U em 30/01/2012, com prazo de captação até 31/12/2012) e Lei do ICMS/RJ (aprovado com publicação no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro em 30/11/2011, com prazo de captação de 2 anos). Neste período foram feitos contatos com algumas editoras e enviadas partes do livro (sumário, cartas de apresentação, introdução e duas ou três crônicas) ou na íntegra quando solicitado. Estas últimas mostraram interesse em publicar o livro mediante patrocínio.

 

Temáticas: As crônicas registram os redutos boêmios e personagens tipicamente cariocas, dos anos 50 e 60, em bairros próximos ao Centro e alguns do Subúrbio.  As estórias verdadeiras, vivenciadas pelo autor, envolvem comportamentos, valores, cordialidade, violência, problemas sociais, amor e sexo, jogo e prostituição entre outros temas. 

 Resumo do projeto:

     Trata-se de um livro de crônicas que pretende resgatar a memória do Rio de Janeiro, especialmente dos seus redutos boêmios, nos anos 50 e 60, narrando estórias verídicas envolvendo tipos e situações testemunhadas pelo autor, sobretudo nos bairros próximos ao Centro da cidade.

     São 30 crônicas, agrupadas em oito bairros: Estácio de Sá, Praça Onze, Catumbi, Zona do Mangue, Lapa, Mangueira, Vila Isabel, Tijuca, e finalizando, Subúrbio que inclui alguns bairros da região. Estes bairros constituem o principal cenário das estórias, que foram registrados pelo autor, durante sua intensa vivência nos botequins, dancings, gafieiras e clubes sociais onde se encontrava a verdadeira alma carioca da época.

     O Estácio e o Catumbi eram redutos de sambistas e partideiros; o Catumbi destacou-se pelos desfiles de seus Ranchos e Blocos Carnavalescos; em Vila Isabel o samba e a boemia resistem até hoje; na Praça Onze, a casa de Tia Ciata, é considerada o berço do samba, assim como a Lapa foi o berço da boemia, que agora renasce; na comunidade da Mangueira o samba floresceu; no subúrbio se destacavam as grandes Escolas de Samba, os Clubes Sociais e as animadas gafieiras, verdadeiras escolas de dança, onde se encontravam grandes bailarinos. A crônica “Quando dançar significava apenas dançar...”, que inicia o livro, mostra o quanto e onde o carioca dançava naquela época, do subúrbio e Centro até as boates da Zona Sul.

     O livro apresenta de modo especial a figura do Malandro, instituição genuinamente carioca, e cada vez mais improvável nos dias de hoje, pela banalização da violência, deterioração dos valores e pressão da luta pela sobrevivência. Não se trata do trambiqueiro, ao contrário, ele tinha seu código de ética. A qualidade fundamental do malandro de verdade é ser elegante. Não só no trajar, mas em todas as suas ações, até mesmo numa discussão, depois de fazer o impossível para evitá-la. E um de seus atributos, responsável por torná-lo um irresistível sedutor, era o fato de ser também um grande bailarino. O tipo, que chamei de “malandro beleza” e dá título ao livro, está representado por protagonistas de algumas crônicas.

     Enfim, os vários “personagens”, seus hábitos e comportamentos, sua realidade social e cultural, compõem um painel revelador de uma época e de um modo de ser carioca, que vem se perdendo no tempo, mas não deveria ser esquecido.

  Outros detalhes do projeto:

As crônicas estão agrupadas em nove bairros: Lapa, Praça Onze, Zona do Mangue, Estácio de Sá,  Catumbi, Mangueira, Vila Isabel, Tijuca, e por último Subúrbio, que agrupa algumas crônicas  relacionadas a esta região do Rio. As folhas de abertura, que trazem o nome de cada bairro - inclusive a folha de abertura da crônica que inicia o livro, que mostra o papel da dança e seus ambientes no lazer e na sociabilidade do carioca na época, com o título “Gafieiras, dancings e boates da cidade” -, terão  ilustrações que podem  referir-se a uma ou mais crônicas inseridas em cada bairro. Cada um dos dez desenhos deve expressar as características marcantes dos personagens, cenários e situações relatadas nas respectivas crônicas, e o conjunto dele comporá um painel de aspectos do Rio de Janeiro da época. Neste sentido, se optará por desenhos que tenham um estilo aproximado ao Naif que atendem muito bem ao objetivo.  

  Estimativa de público e perfil:

A boemia carioca e a figura do Bom Malandro (ou  Malandro Beleza como eu o chamei no livro) é tema de interesse geral, até fora do Brasil. A distribuição do livro será nacional e estará pelo menos nas livrarias de todas as capitais, não sendo possível portanto fazer uma estimativa quantitativa da venda do livro. Para a primeira edição está prevista a impressão de 3 mil exemplares. É evidente que o livro tem um apelo especial para  as pessoas que viveram o Rio da época – anos 50, 60 especialmente mas também   anos 70. Por este motivo se fará um lançamento no Rio e em São Paulo, onde existe um forte reduto de samba. Como as gafieiras, dancings e também os bailes em clubes sociais são cenários de algumas crônicas, a proposta é que o lançamento do livro, ao menos no Rio, seja feito em uma gafieira, com o conjunto “Samba de Fato” tocando os grandes sambas, choros, boleros e outros ritmos tocados nos bailes da época.

Plano de mídia:

1 . Material de divulgação: a - convites impressos e eletrônicos. b - marcadores de livro (para serem distribuídos nas livrarias), além de um percentual de exemplares, a combinar, a serem entregues para a editora e o patrocinador. c – cartazes para o lançamento (inicialmente no Rio e em São Paulo).  

d – release (texto de apresentação do livro, do autor e do patrocinador para todas as mídias dando todos os subsídios importantes para elaboração de matérias). Em todas as peças de divulgação terá em destaque o logotipo da empresa patrocinadora, no caso do livro a referência ao patrocínio e a respectiva marca sairão na capa.

2. Contratação de assessoria de imprensa especializada para se obter divulgação  ampla e eficiente por meio das seguintes ações: a - envio de convite impresso, release, foto do livro para todas as mídias (jornais, revistas, TVs e rádios). b – contato direto com os editores e/ou redatores dos Cadernos de Cultura dos principais jornais e revistas do Rio e São Paulo e por e-mail ou telefone no caso de publicações de outros estados,  para sugestão de reportagens, entrevistas, artigos e notas (estas para colunas e seções). c – contato com os responsáveis por programas de rádios  e TVs  voltados para a cultura, especialmente literatura. d – para os principais jornais e revistas, sobretudo do Rio e São Paulo, será enviado um exemplar do livro dirigido às respectivas editorias de cultura. e – envio de convites eletrônicos para os lançamentos do livro, com base na agenda pessoal do autor, além daqueles enviados para a mala direta da editora e da empresa patrocinadora, se ela assim desejar.

 Cotas de Patrocínio: O patrocínio pode ser dividido em cotas, podendo ter um único patrocinador com 100% das cotas, ou mais de uma empresa apoiando o projeto – de preferência duas - com os seus percentuais previamente definidos. Como o projeto está aprovado em duas leis de incentivo (Rouanet e ICMS/RJ) existe a possibilidade de uma mesma empresa utilizar-se das duas formas de incentivo desde que o total a ser patrocinado não ultrapasse o valor aprovado nas duas leis que é o mesmo, ou seja

R$ 97. 306,00.  Há ainda a possibilidade de duas empresas patrocinarem o projeto da mesma forma: cada uma utilizando de uma das leis de incentivo, sempre respeitando o total aprovado. No caso de ter mais de uma empresa patrocinadora, haverá a divisão do espaço de inserção da logomarca sob a palavra “Patrocínio” em todo o material gráfico, divisão que deverá ser proporcional ao percentual da cota investida por cada empresa.

Reproduzo abaixo a planilha orçamentária preenchida para inscrição do projeto nas Leis de Incentivo em que  foi aprovado. A forma como as etapas de produção com os seus respectivos custos são divididas pode facilitar a divisão das cotas, na medida em que elas devem estar relacionadas a itens diferentes do orçamento: 

1. pré-produção  - pesquisa e finalização do texto (já concluídos). Custo: R$9.000,00

 

2. produção/execução – copidesque, coordenação editorial, ilustrações, projeto gráfico (capa, miolo, convites, filipetas ou marcadores de livro e cartazes), editoração eletrônica, scanner, impressão e supervisão gráfica. Custo: R$63.310,00 

3. divulgação e mídia – assessoria de imprensa (contato direto com a mídia do Rio e São Paulo: distribuição de releases, convites e alguns exemplares - releases para a mídia nacional), correio e frete (envio obrigatório de exemplares do livro e convites de lançamento para os órgãos públicos que concederam o Incentivo Fiscal: MINC e Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro), lançamento no Rio (contratação de salão e conjunto musical); lançamento em São Paulo (passagens aéreas – ida e volta e hospedagem). Custo: R$8.000,00 

4. despesas administrativas – assessoria jurídica (contratos com editoras), coordenação administrativa- financeira (prestação de contas). Custo: R$7.700,00 

5. impostos /tarifas/seguros – tarifa de manutenção de conta bancária e ECAD. Custo: R$495,00 

Benefícios oferecidos ao patrocinador:

Além da divulgação da empresa patrocinadora, por sua marca estar com destaque em todo o material de divulgação citado no Plano de Mídia, e também na capa dos 3.000 exemplares do livro, à empresa será destinada 10% da edição, que corresponde a 300 exemplares.

Parece-me também interessante, sobretudo para uma empresa instalada no Rio de Janeiro, ter a sua marca associada a um projeto que contribui para resgatar a memória da cidade, que vem se transformando e se descaracterizando tão inexoravelmente. Houve muitas mudanças na qualidade de vida, na qualidade das relações e nos valores. A população dobrou várias vezes, a sociabilidade tornou-se infinitamente menor. Não havia  esta avalanche de meios eletrônicos de comunicação - para certas finalidades hoje imprescindíveis –  mas que de certa forma afastam as pessoas do convívio. A velocidade da tecnologia e a competição feroz pela sobrevivência nos impõe um ritmo estressante, por isto, no período retratado no livro, a vida era mais leve, mais inocente, mais lúdica e festiva.

Estas  características, tão associadas ao carioca, encantam o resto do Brasil e do mundo. Portanto, saber mais sobre a vida na cidade, nos anos 50 e 60, é de interesse geral; sobretudo porque no livro todos os personagens, situações e ambientes são reais, foram vivenciados pelo autor e registrados no momento em que ocorreram e formam assim um painel muito vivo de aspectos cidade, de sua gente, naquele tempo.

A idéia de fazer o lançamento em uma gafieira com músicas da época, faz parte da proposta de resgate desta memória, mas também traz uma vantagem adicional que é a mídia que o evento pode suscitar, certamente muito maior que um lançamento convencional em livraria. Por meio de algum conhecimento que o autor tem no meio jornalístico, por ter sido também profissional da área, pretende-se utilizar todos os meios de comunicação para divulgar o livro, seu lançamento e consequentemente a marca do seu patrocinador , por meio de entrevistas, matérias, artigos e notas. Temos por princípio o dever de prestigiar o patrocinador, pela sustentação que dão aos projetos culturais e outros de interesse social, ou seja, proporcionando as condições efetivas para que as obras sejam criadas e produzidas. Assim sendo, além do nome e marca sairem na capa do livro, nos convites, nos marcadores de livro e cartazes, em todas as entrevistas que forem conseguidas nas diversas mídias manifestaremos os nossos  agradecimentos ao patrocinador. 

Tipo de incentivo:

 Lei Rouanet e Proac - ICMS/RJ ?

A BELA ADORMECIDA

Nº 09
Segmento do projeto: artes cênicas
Gênero: teatro
Título do projeto: A BELA ADORMECIDA
Autor / adaptação: CLÁUDIO TOVAR
Direção / coordenação: FAFFY SIQUEIRA
Local do projeto / nome do local: teatro
Região do projeto / município / estado: SÃO PAULO -SP
Valor do projeto: R$165.000,00 (cento e sessenta e cinco mil reais ) indique valor numérico e por escrito
Texto: Cláudio Tovar
Direção: Fafy Siqueira
Elenco: Thais Pacholek, Felipe Lima, Rogério Tchusk, Lyliah Virna, Patrícia Vilela e Gerardo Franco.
Músicas: letras de Gerardo Franco e arranjos de Tatiana Rocha
Direção musical / vocal: Ricardo Severo
Cenários e Figurinos: Tiago Machado
Produção Executiva: Ruy Dealis
Direção de Produção: Maria Betania Oliveira
Temáticas: mulher
Explicação do projeto: Realização de montagem e temporada de espetáculo teatral musical destinado a público infantil, com Temporada prevista de 03 meses na cidade de São Paulo.
Sinopse / resumo / comentário: Inspirado em antiga lenda, Cláudio Tovar escreveu uma versão de A Bela Adormecida, levada ao palco em forma de musical infantil, com direção de Fafy Siqueira, encenado por 06 atores,
com Cenários e figurinos de Tiago Machado, direção musical de Ricardo Severo e trilha sonora composta por Tatiana Rocha e Gerardo Franco.
Justificativa: Escolhemos levar aos palcos uma estória infantil clássica, primeiro por acreditarmos que os contos infantis, as estórias antigas, que passaram por gerações e gerações e ainda são narradas, ajudam na formação do caráter das crianças, Elas são como exemplos, metáforas que ilustram diferentes modos de pensar e ver a realidade e, quanto mais variadas e extraordinárias forem as situações que elas contam, mais se ampliará a gama de abordagens possíveis para os problemas que nos afligem na vida. Em segundo lugar, por acreditar no poder da fantasia, a versão teatral pretende
configurar-se como uma oportunidade para trazermos à população infantil, produções dedicadas a este público, marcadas pela excelência e qualidade, com tinturas envolventes, dinâmicas, lúdicas e alegres, que são ingredientes fortes para que o espetáculo se transforme num grande sucesso e contribua para o enriquecimento da cultura e formação infantil brasileira.
Locais de Realização do Projeto: São Paulo (capital)
Outros detalhes do projeto:
Contrapartida Social:
01 sessão de ensaio aberto, para moradores de comunidades carentes da Zona Sul de São Paulo, onde todos poderão ver o resultado de todo o processo de criação antes de sua estréia oficial.
01 sessão gratuita do espetáculo em troca de 1 kg de alimento não perecível. Alimento esse que será doado a uma Unidade Ação Família
A participação de 02 jovens (moradores de comunidade carentes da Zona Sul de São Paulo) alunos de teatro, no processo de montagem e execução do espetáculo teatral na função de “estagiários” durante o processo de criação e ensaios (Dois meses), Contribuindo assim para que os artistas/aprendizes possam ter um contato maior e entender melhor como se dá a produção de um espetáculo. Esses jovens ganhariam, não somente a troca de experiências (em um convívio profissional diferente de sua realidade), mas também uma valorização do seu potencial artístico e cultural.
Acessibilidade:Ofereceremos cota de 10% da capacidade da casa de espetáculo a preços populares, de até no máximo R$10,00 (dez reais);
Ofereceremos cota de 10% da capacidade da casa de espetáculo aos professores de ensino médio da rede pública estadual de ensino;
Estimativa de público e perfil, (quantidade e perfil): crianças - apresentações de sábados e domingos, em teatro com capacidade para +/ - 290 lugares, público pagante estimado de aproximado de 60% da capacidade por apresentação e com previsão de atingir um público total de 7.000 espectadores, em 24 apresentações, entre pagantes, convidados e ingressos cedidos aos estudantes da rede pública.
Pretendemos procurar escolas para apresentações extras.
Plano de Mídia:
Plano de Comunicação:

• Assessoria de imprensa especializada
• Anúncios jornal (guias), roteiros, guia off
• Spot de até 30“ rádio
• Mala direta para divulgação virtual (5.000 endereços Eletrônicos)
Serão produzidos:
• 1.000 convites impressos
• 2.000 Programas da peça
• Convite Eletrônico / Folder Eletrônico
• Banner/faixa adesiva na fachada do teatro
• 100 Cartazes
• 5.000 cartões postais distribuídos gratuitamente.
• A marca de empresa será reproduzida 20 mil vezes
Cotas de patrocínio: Plano de Patrocínio
Cota Patrocinador Master: 100%
• Inserção da logomarca do patrocinador sob a assinatura “Apresenta” em todo o material gráfico e anúncios
• Página Institucional no programa
• Liberação de fotos para publicidade da empresa.
• Apresentação especial para a Empresa
• Cessão de 10% dos ingressos disponíveis nos demais locais de apresentação.
Cota Co-Patrocinador – 50%:
• Divisão de espaço na inserção da logomarca do patrocinador sob a assinatura “Patrocínio” em todo o material gráfico e anúncios
• Cessão de 5% dos ingressos disponíveis nos demais locais de apresentação.
Cota Incentivo – 30%:
• Inserção da logomarca do patrocinador sob em todo o material gráfico.
• Cessão de 3% dos ingressos disponíveis nos demais locais de apresentação.
COTA APOIO – 20%
• Inserção da logomarca do patrocinador sob em todo o material gráfico e anúncios sob assinatura apoio.
• Cessão de 2% dos ingressos disponíveis nos demais locais de apresentação.
Estamos abertos a outros tipos de contrapartidas sugeridas
Tipo de incentivo: Proac- ICMS/SP

 

BANDA ESCOLA MAESTRO

Nº 10

Segmento do projeto: Música
Gênero: música
Título do projeto: Banda Escola Maestro Chiquito Belcufiné – Preparando para o 2° centenário
Local do projeto / nome do local: sede da Banda de Itú
Região do projeto / município / estado: Itú/ São Paulo/ SP
Valor do projeto: R$150.000,00 (cento e cinquenta mil reais)
Ficha técnica e artística dos envolvidos: Maestro e diretor Artístico - Paulo Henrique Pupo é músico profissional há mais de 15 anos, inciando sua carreira junto ao Maestro Chiquito Belcufiné. Nos últimos anos aperfeiçoou sua carreira como instrumentista e educador musical.
Após 10 anos do início de sua carreira profissional, Pupo é convidado pelo maestro Chiquito Belcufiné a fazer parte da Banda de Itu e ajudar no processo de formação de uma nova “safra” de jovens músicos que terão a responsabilidade de garantir a continuidade de uma instituição centenária.
Dando sequencia a esta nova fase, Pupo apresenta este projeto, que além de garantir a continuidade da tradicional Banda de Itú será uma homenagem ao Maestro Chiquito Belcufiné, falecido em 2011, logo após a aprovação do projeto pelo ProAC.
Explicação do projeto: O Projeto “Banda Escola Maestro Chiquito Belculfiné – Preparando para o 2° Centenário” visa realizar atividades de formação musical para banda, com 50 alunos, entre crianças e jovens de 8 a 24 anos, da cidade de Itú e região, preferencialmente já com alguma experiência anterior em música. O atendimento será totalmente gratuito, aberto a crianças e jovens de toda a comunidade, inclusive com o fornecimento de instrumentos musicais.
Este projeto visa a criação de uma Banda Escola com um grupo de crianças e jovens que, futuramente, estarão aptos a integrar a composição da Banda de Itu, instituição que comemorará no próximo ano “100 anos” de existência com uma história rica, repleta de grandes contribuições para a cultura da região e do país.
O proponente deste projeto foi um discípulo do atual maestro da banda de Itu, Francisco Belculfiné, e pretende com a realização deste projeto garantir a continuidade das atividades da Banda de Itú.
Pela credibilidade obtida com os trabalhos já realizados durante estes quase 100 anos de história da Banda de Itú, faz-se necessário criar meios para garantir a continuidade desta história de tantas contribuições à formação cultural em nosso país.
Com a profissionalização do processo de formação de novos talentos entre as crianças e jovens da cidade e da região, conseguiremos viabilizar a continuidade das ações musicais e culturais da Banda de Itú.
Sinopse / resumo / comentário: O projeto terá a dedicação profissional exclusiva do proponente, ou seja ele estará disponível 44 horas semanais para o processo de formação, ensaios e apresentações, sendo o educador e maestro do grupo.
As aulas de musicalização serão realizadas semanalmente em grupos de 10 alunos, com duração de 1 hora. A partir do 2° mês de atividades, os alunos já poderão escolher o instrumento que desejar se especializar.
Estarão disponíveis os seguintes instrumentos: 21 madeiras (7 saxes, 7 clarinetes, 7 flautas) e 21 metais (7 trompetes, 5 trombones, 4 bombardinos, 4 trompas, 1 tuba). Serão destinadas 8 vagas para especialização em percussão.
As aulas de especialização serão semanais e poderão ocorrer em grupo, sempre dentro do grupo de instrumento, ou ainda individual, de acordo com a necessidade de cada aluno. Portanto, cada aluno terá mais uma hora semanal de prática instrumental, a partir do 2° mês do projeto.
Para as aulas de especialização de metais (trompetes, trombones, bombardinos, trompas, tuba), o projeto contará com o apoio do professor Eduardo Freire Waldemarin, da cidade de Itu, que ministrará algumas oficinas em grupo, além de intensificar a formação individual dos alunos que optarem por estes instrumentos.
A partir do 4° mês, todo o grupo passa a se reunir mais uma vez por semana para a realização de ensaios da banda. O ensaio geral semanal terá duração de 2 horas.
Portanto, estima-se uma atividade semanal de no mínimo 4 horas para cada aluno presencialmente no local de desenvolvimento do projeto, além da carga de estudos individuais que será exigida de cada aluno para que se alcance os objetivos propostos.
A Corporação Musical União dos Artistas – Banda de Itú, cederá as dependências de sua sede, bem como 20 instrumentos para a realização do projeto.
Além da formação dos 50 novos alunos, o proponente oferecerá semanalmente uma oficina de reciclagem a 25 músicos dos instrumentos de madeiras da atual Banda de Itú, buscando o aperfeiçoamento conjunto do grupo. Este trabalho prevê também a formação de grupos de câmara para apresentações na cidade e na região. Espera-se a formação de um quarteto de saxofones e um quarteto de clarinetes. Estes quartetos poderão ser compostos tanto por músicos da atual formação da Banda de Itú como por alunos com bom desempenho no processo de formação. Cada quarteto oferecerá 2 apresentações ao público a serem agendadas no decorrer do projeto.
A Banda Escola que será formada como produto principal deste projeto realizará 3 apresentações ao público no final do cronograma, sendo determinado previamente que uma das apresentações acontecerá na praça Padre Miguel, na cidade de Itú, onde tradicionalmente a Banda de Itú se apresenta quinzenalmente e outra será no auditório Salão Maestro Elias Lobo, na sede da Corporação Musical União dos Artistas, ficando a terceira apresentação para ser definido posteriormente o local.
A avaliação do processo de formação acontecerá em 2 momentos: o primeiro no sexto mês do projeto e o segundo no final das atividades. O processo de avaliação será composto por audições individuais dos alunos com avaliação do coordenador e maestro do projeto e de um convidado especial (maestro Chiquito Belculfiné); por audições por grupo de instrumentos; uma prova escrita; e, finalmente, pelo desempenho nas 3 apresentações da Banda Escola.
Ao final do projeto, espera-se que 100% dos alunos permaneçam nas atividades oferecidas pela Banda de Itú que deverá oficializar a manutenção das atividades da Banda Escola, bem como deverá promover a participação dos alunos com melhor desempenho nas apresentações da Banda de Itú.
Os instrumentos musicais cedidos aos alunos para estudo, ao final do projeto serão doados à Corporação Musical União dos Artistas que manterá as atividades da Banda Escola Maestro Chiquito Belculfiné.
Outros detalhes do projeto: Com a realização das ações propostas neste projeto, o proponente pretende formar 50 jovens para a composição da Banda Escola Maestro Chiquito Belculfiné e, com isso, oferecer sucessores para a continuidade das atividades da tradicional Banda de Itu.
Como objetivos específicos, o projeto pretende:
• Qualificar e ampliar a oferta de vagas na cidade de Itu e região para a formação musical com a aquisição de 30 novos instrumentos;
• Garantir a continuidade da formação de músicos para a composição de banda;
• Colaborar para a formação cultural e em aspectos sociais e morais diretamente na família de 50 jovens e indiretamente em toda a comunidade.
Tipo de incentivo: Proac- ICMS/SP



A NAÇÃO DOS ESPÍRITOS

Nº 11
Segmento do projeto: audiovisual
Gênero: cinema
Título do projeto: A Nação dos Espíritos
Local do projeto / nome do local: cinemas e Emissoras de TV comunitárias e educativas
Região do projeto / município / estado: SP / RJ / SC / BA / CE
Valor do projeto: R$ 599.985,39 (quinhentos e noventa e nove mil, novecentos e oitenta e cinco reais e trinta e nove centavos).
Sinopse / resumo / comentário: Muitos filmes de temática espírita foram lançados e alcançaram grandes bilheterias do cinema brasileiro. Contudo nenhuma destas obras debate por que o espiritismo se tornou tão popular no Brasil.
Para suprir esta lacuna de obras que mostrem a importância dos espíritas em nossa sociedade é que nasceu a idéia deste projeto.
A Nação dos Espíritos não pretende ser um filme espírita e sim um olhar sobre quem são os espíritas como cidadãos brasileiros e não somente como seguidores de uma religião.
Uma obra não apenas para espíritas, mas para todos brasileiros interessados em compreender a diversidade religiosa e cultural de nosso povo.
Tipo de incentivo: Proac- ICMS/SP

A CENA NA PRAÇA

Nº 12
Segmento do projeto: artes cênicas
Gênero: teatro
Título do projeto: “A Cena na Praça...”
Local do projeto / nome do local: praças Praça Dom José Gaspar
Região do projeto / município / estado: Centro – São Paulo - SP
Valor do projeto: R$ 227.238,00 ( Duzentos e vinte e sete mil, duzentos e trinta e oito reais )
Explicação do projeto: Trata-se uma mostra de espetáculos gratuitos para o público adulto e infantil, circulantes da Praça Dom José Gaspar, com apresentações de 13 espetáculos adultos às quartas-feiras, às 12h e 13 espetáculos infantis aos sábados, às 11h. A programação será realizada a partir de uma seleção dos espetáculos, por uma comissão, com os seguintes critérios:
- Comprovada e alta qualidade artística; - A concepção permita a realização em espaços abertos;
- Realizou temporada bem sucedida (sucesso de público e de crítica); - Foram indicados ou receberam premiações em suas categorias artísticas; - Linguagem de fácil acesso, que possa ser apreciada por todos os públicos, independente de sua condição social e intelectual; - Podem ser assistidos por toda a família.
Sinopse / resumo / comentário: Projeto de Artes Cênicas e Música encenada que se propõe a promover uma programação cultural qualificada em Praças históricas da cidade de São Paulo. Nesta primeira edição o projeto objetiva a Praça Dom José Gaspar, pela sua importância histórica e por estar junto a um dos pontos de referencia cultural mais importante da capital a “Biblioteca Mário de Andrade”, no centro da cidade. A Proposta para esta primeira edição é de uma programação às quartas-feiras e aos sábados no decorrer dos meses de Março a Maio de 2012 (poderá ser alterada de acordo com o período de captação). Serão no total 26 apresentações gratuitas para a população. As apresentações terão duração de aproximadamente 50 minutos cada. O foco principal do projeto é privilegiar a produção cultural contemporânea brasileira e Convocação para espaços abertos.
Tipo de incentivo: Proac- ICMS/SP



LANÇAMENTO DO CD TAMIKA

Nº 13

Segmento do projeto ( x) audiovisual  
Gênero:   ( x) música  
Título do projeto: Produção e Lançamento do CD Tamika
Local do projeto / nome do local: Casas noturnas
Região do projeto / município / estado: São Paulo
Valor do projeto:  R$ 95.990 (noventa e cinco mil novecentos e noventa reais
Temáticas:  Cultura japonesa
Explicação do projeto: Será gravado um CD de música POP com influências orientais e haverá shows para a divulgação do mesmo. Estão programados sete shows ao vivo.
Sinopse / resumo / comentário:  O projeto de produção e lançamento do CD TAMIKA trará em suas faixas características musicais da cultura pop moderna ocidental com elementos da música japonesa, como a presença do shamisen, instrumento tradicional japonês, e poesia japonesa chamada haikai. O projeto também trará aspectos visuais como a moda japonesa, tanto a popular quanto a tradicional.
A maior característica do projeto é a inédita interconexão de culturas, japonesa e brasileira, oriental e ocidental, integradas em uma linguagem musical moderna, voltada para o público brasileiro.
Outros detalhes do projeto: O projeto está ligado à Cruz Vermelha de São Paulo. 15% das vendas dos CDs será revertida para essa instituição.
Estimativa de público e perfil:  Público de 16 á 30 anos, que escuta música Pop ocidental (ex. Katy Perry, Britney Spears).
Plano de Mídia: Site com domínio próprio, forte presença nas redes sociais (Twitter, Facebook, MySpace e outros que vierem a surgir), assessoria de imprensa e cartazes com divulgação dos shows.
Cotas de patrocínio: O patrocínio está dividido entre a Produção do CD (58.8820); Divulgação (R$10.670) e Shows ao vivo (R$26.500)
Benefícios oferecidos ao patrocinador: Retorno de marketing. O valor do imposto será revertido em divulgação e imagem da marca, que ficará associada a projetos culturais e beneficentes, pois estará ligada também à Cruz Vermelha de São Paulo.

Tipo de incentivo: ( x ) Proac- ICMS/SP


 

POR UM MUNDO MELHOR

Nº 14

Segmento do projeto: artes cênicas
Gênero: circo
Título do projeto: Por um mundo melhor
Local do projeto / nome do local: Salão cultural
Região do projeto / município / estado: São Paulo/ SP – Comunidade Paraisópolis – Zona sul
Valor do projeto: R$ 173.350,00 (Cento e Setenta e Três Mil e Trezentos e Cinqüenta Reais).
Resumo: O nosso principal objetivo é realizar uma oficina de capacitação de artes circenses para crianças e adolescentes portadores de deficiências e convencionais, sendo assim estaremos desenvolvendo um projeto único e pioneiro de inclusão e acessibilidade.
Esse projeto está em andamento junto à Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida – SMPED, onde teremos um espaço fixo na Comunidade do Paraisópolis para realização das oficinas, com um curso básico de três meses de duração e, caso a resposta seja positiva, daremos continuidade ao projeto por mais oito meses.
Tipo de incentivo: Proac- ICMS/SP

SAMPA/RIO

Nº 15

Segmento do projeto: Música
Gênero: Música (popular)
Projeto: SampaRio
Local: Teatro
Região do projeto: 6 (seis) cidades universitárias do interior do estado de SP (Araraquara, Bauru, Botucatu, Campinas, Piracicaba e São Carlos)
Valor do projeto: R$169.940,00 (Cento e sessenta e nove mil, novecentos e quarenta reais)
Explicação do projeto: Com a proposta de oferecer ao público do interior do Estado de SP um espetáculo musical composto por 2 (dois) shows de artistas diferentes em uma única noite, o projeto “SampaRio” prevê realizar a circulação dos shows da cantora e compositora paulistana Nô Stopa e da cantora, compositora e instrumentista carioca Claudia Dorei pelas cidades de Araraquara, Bauru, Botucatu, Campinas, Piracicaba e São Carlos, sendo uma apresentação em cada localidade. Como resultado, o total de 6 (seis) espetáculos – cada um composto por 2 (dois) shows –, tendo todas as atividades ENTRADA FRANCA.
Filha do compositor mineiro Zé Geraldo, Nô Stopa teve seu primeiro registro em CD como cantora e compositora em duas faixas de "O Novo Amanhece" (1999/ Kuarup), disco de seu pai em parceria com Renato Teixeira.
Nascida no Rio de Janeiro e radicada em São Paulo desde 2001, a cantora, compositora e instrumentista busca, da fusão de referências européias com sonoridades brasileiras, a identidade da nossa música contemporânea em suas canções autorais.
Em seu álbum de estreia, Claudia Dorei canta e toca trompete, acompanhada por sopros, baixo, guitarra e beatbox fazendo as vezes da bateria. Com timbres digitais e instrumentos acústicos enriquecendo o trabalho, “Respire” tem como ponto de partida o trip hop – estilo até então pouco explorado por artistas nacionais originário da fusão de uma vertente da música eletrônica com o hip hop.
Além das apresentações, o projeto contempla também o relançamento dos CDs “Novo Prático Coração” e ”Respire” com nova prensagem de 1.000 cópias de cada disco no formato SMD para possibilitar a venda a preços populares de R$ 5,00. Desta quantidade, este projeto estipula ainda a cota de 500 CDs de cada artista a serem doados a bibliotecas públicas, escolas, universidades, associações e entidades das cidades visitadas.
Sinopse: O projeto “SampaRio” propõe a circulação do Show “Novo Prático Coração” da cantora e compositora paulistana Nô Stopa e do Show ”Respire” da cantora, compositora e instrumentista carioca Claudia Dorei por cidades universitárias do interior do Estado de São Paulo. Esta itinerância inclui Araraquara, Bauru, Botucatu, Campinas, Piracicaba e São Carlos, sendo a realização de um espetáculo musical em cada município, totalizando 6 (seis) cidades, 6 (seis) espetáculos – cada um composto pelos 2 (dois) shows – e todos com ENTRADA FRANCA. Prevê ainda o relançamento dos CDs “Novo Prático Coração” e ”Respire” com nova prensagem de 1.000 cópias de cada disco a serem vendidos a preços populares de R$ 5,00 e a distribuição gratuita de 500 CDs de cada artista destinados a bibliotecas públicas, escolas, universidades, associações e entidades culturais das cidades visitadas.
Tipo de incentivo: Proac – ICMS/SP

A GRANDE VIAGEM – A SÉRIE

Nº 16

Segmento do projeto: audiovisual
Gênero: série de televisão.
Título do projeto: A Grande Viagem – a série
Local do projeto / nome do local: TV Cultura
Região do projeto / município / estado: São Paulo - SP
Valor do projeto: R$ 1.391.407,68 (um milhão trezentos e noventa e um mil e quatrocentos e sete reais e sessenta e oito centavos)
Explicação do projeto: série infantil (7 a 12 anos), live-action, composta de 13 episódios de 26 minutos cada.
Sinopse / resumo / comentário: Essa é a história da grande viagem do vovô Mário e de seu neto Felipe. Com Alzheimer, Seu Mário não consegue mais distinguir com clareza passado e presente e revive em sua mente uma fase de sua vida em que era vendedor de porta em porta vendendo guias de viagem. Entretanto, Mário nunca viajou, mas agora surge a oportunidade de conhecer os quatro cantos da terra através de um mergulho na imaginação, e Felipe será o seu parceiro nessa jornada. Memória, perda, sonho estarão presentes nessa fábula moderna sobre novas oportunidades. A cada episódio, Felipe e o vovô Mário conhecerão um país diferente e viverão grandes aventuras. Duas gerações se encontram e aprendem uma com a outra.
Outros detalhes do projeto: Já captou R$ 990.000,00 (novecentos e noventa mil reais) do Fundo Setorial Audiovisual
Tipo de incentivo: Proac- ICMS/ e Lei do Audiovisual Art. 1ºA

AS ESTRELAS CADENTES

Nº 17

Segmento do projeto: artes cênicas
Gênero: teatro
Título do projeto: AS ESTRELAS CADENTES DO MEU CEU SAO FEITAS DAS BOMBAS DO INIMIGO
Local do projeto / nome do local: teatro
Região do projeto / município / estado: SAO PAULO / SP
Valor do projeto: R$ 188.500,00 (Cento e oitenta e oito mil e quinhentos Reais)
Explicação do projeto: AS ESTRELAS CADENTES DO MEU CÉU SÃO FEITAS DE BOMBAS DO INIMIGO, décimo espetáculo da Cia. Provisório-Definitivo, será baseado principalmente nos livros: VOZES ROUBADAS -DIÁRIOS DE GUERRA, organizado por Zlata Filipovic e Melanie Challenger, O DIÁRIO DE ANNE FRANK famoso livro organizado por Otto H. Frank e Mirjam Pressler e OS BELOS DIAS DA MINHA JUVENTUDE, de Ana Novac.
Os três livros contêm relatos de adolescentes que confidenciaram a seus diários tudo o que passava pelas suas cabeças enquanto seus países ou suas casas eram bombardeados, amigos ou familiares mortos, passavam frio, não tinham o que comer, não podiam sair de suas casas, sentiam saudades de seus pais... Enfim, relatavam suas impressões em diferentes situações de guerra ao longo do conflituoso século XX e do começo do século XXI.
O texto será desenvolvido em processo colaborativo entre os atores-criadores (Carlos Baldim, Paula Arruda, Pedro Guilherme e Thaís Medeiros) e o diretor Nelson Baskerville. A formatação dramatúrgica final será feita por Pedro Guilherme.
Os jovens dos relatos sentiram a necessidade de se posicionarem frente à adversidade, o que os obrigou a uma busca pelo entendimento em momentos que isso parecia impossível, gerando uma atitude clara de ruptura com a maneira de lidar com os outros ao redor e com a guerra. A partir daí, surgiram questionamentos sobre a importância de consciência crítica, convivência em sociedade, individualidade de pensamentos, diferença entre coletividade e massificação, amor, família, país e regimes políticos. Com tudo isso, é ressaltada a inerente humanidade em comum dos diferentes jovens dentro e fora das guerras nos últimos cem anos.
A Cia. Provisório-Definitivo ao fazer um espetáculo sobre esses jovens, busca atingir um público diverso, formado por espectadores a partir de 12 anos, no qual o material pesquisado permite diferentes possibilidades cênicas tanto no conteúdo, quanto na experimentação de pesquisa. Como cada relato de um adolescente é específico na individualidade de quem narra, no conflito relacionado e na época em que é vivido, o desafio será dar unidade a uma espécie de colcha de retalhos. Tudo isso, sem perder o principal objetivo para o grupo: a necessária comunicação com o público.
Sinopse / resumo / comentário: Rússia 1938, Alemanha 1914, Nova Zelândia 1941, Iraque 2003, Polônia 1942, Vietnã 1968, Estados Unidos 1942, Bósnia-Herzegovina 1992. Jovens relatam suas experiências vividas durante diferentes guerras, em diversos países e distintas épocas. Apesar da distância de tempo e espaço entre essas personagens, existem traços marcantes em comum, que transcendem a cultura, o credo e a geografia. É uma humanidade que se compartilha. Independentemente da natureza dos conflitos narrados esses adolescentes são tolhidos naquilo que há de mais essencial nas suas vidas: a liberdade de agir e assim criar as suas individualidades.
Piete, Nina, Anne, Inge, William, Hans, Sheila, Stanley, Yitskhok, Clara, Ed, Zlata, Shiran, Mary, Hoda e Ana. As vozes destes adolescentes nos oferecem um vislumbre de como o horror da guerra destrói a inocência da infância e corrompe um bem muito precioso: os jovens. Eles encontraram na escrita um refúgio da loucura que os cercavam e em seus diários verdadeiros espaços de comunicação e expressão pessoal. Uma fuga da apatia.
Através da visão dos autores dos relatos podemos ver que “viver na guerra significava a falta de água, por exemplo. Significava não poder sair nas ruas. Significava não ter tecidos de algodão. Significava que todos conheciam pelo menos uma pessoa próxima que havia sido morta. Significava inventar novas maneiras de cozinhar, significava inventar novas receitas. Significava que as pessoas continuavam fazendo bebês. Significava que as pessoas ainda morriam de causas naturais. Significava que as pessoas continuavam se casando. Significava manter a esperança, planejar o futuro. Também significava a presença da morte a cada momento. Significava tantos detalhes da vida – e se começarmos a selecionar esses momentos, teremos um quadro maior e mais coerente de como é a vida dentro de um conflito. Também aprendemos o peso das coisas simples da vida e o efeito da sua ausência.” (Zlata Filipovic)
Por fim, ao entrar em contato com esses diários, chega-se a conclusão que “as guerras realmente acontecem a pessoas como nós – pessoas com esperanças, desejos e problemas, não importando quando e onde vivam.” (Zlata Filipovic)
Outros detalhes do projeto: Abordargem de temas universais e valores humanos; - Apresentação de situações históricas vistas sob um ângulo novo: o olhar de alguém jovem dentro dos conflitos; - Reunir altíssimo nível artístico e técnico; - Comprovada experiência e excelência dos profissionais envolvidos; Agregar ao sentido de difusão da cultura nacional; Contribuir significativamente para a formação de público e de futuros cidadãos; - Abrangência de público diverso; Garantir a democratização cultural; - Renovação da linguagem para esse tipo de tema: uso do humor e mistura linguagens de encenação teatral;
Perfil do público: O projeto pretende atingir cerca de 4.800 (quatro mil e oitocentos) pessoas na cidade de São Paulo, contemplando a adultos e jovens a partir de 12 anos.
Plano de distribuição: O produto do projeto AS ESTRELAS CADENTES DO MEU CEU SAO FEITAS DAS BOMBAS DO INIMIGO será um espetáculo teatral adulto com temporada de oito semanas no município de São Paulo com previsão de início para agosto de 2012, resultando 24 (vinte e quatro) apresentações e estimativa de alcance de público de 4800 (quatro mil e oitocentos) espectadores. Das apresentações pretendidas, 20 (vinte) serão realizadas para público pagante, com ingressos comercializados a preço popular no valor máximo de R$20,00 (vinte reais) e 4 (quatro) apresentações serão gratuitas destinadas para público de Instituições Públicas de EJA (Educação de Jovens e Adultos) da cidade de São Paulo a fim de promover contrapartida social do produto.
Tipo de incentivo: Proac- ICMS/SP

O BRASIL TÁ NA MODA

Nº 18

Segmento do projeto: Programa de rádio c/ finalidade cultural e de prestação de serviços à comunidade
Gênero: Programa. de rádio c/ finalidade cultural que apresenta iniciativas em todas as áreas acima descritas, com artistas, cineastas, músicos, escritores e produtores culturais em estúdio.
Título do projeto: O Brasil tá na Moda
Local do projeto / nome do local: Rádio Trianon – São Paulo – SP
Região do projeto / município / estado: Programa gravado ao vivo na Rádio Trianon, Av. Paulista, 900, com abrangência em 58 municípios
Valor do projeto: R$ 100.000,00 (cem mil reais)
Sinopse / resumo / comentário: Realização de temporada de 4 meses em 2012 do programa de Rádio O Brasil Tá na Moda, totalizando a realização de 80 programas ao vivo, de 2ª. a 6ª. feira, das 14:30 as 15 horas e a veiculação de 80 reprises, de 2ª. a 6ª. feiras, das 4:30 as 5:00 horas.
O Programa de Rádio O BRASIL TÁ NA MODA tem como principal objetivo mostrar a cultura popular brasileira no seu mais amplo sentido. Reportagens especiais enriquecerão o programa, que apresentará perfis de personalidades relevantes da nossa história, sempre com a presença de convidados especiais e, sempre que possível, com a presença do perfilado.
Tipo de incentivo: Proac- ICMS/SP

OS NOVOS CAMINHOS DA MÚSICA

Nº 19

Segmento do projeto: artes integradas
Gênero: Oficinas de canto, dança e música.
Título do projeto: Os Novos Caminhos da Música
Local do projeto / nome do local: Parque V. Guilherme - Trote
Região do projeto / município / estado: São Paulo / SP
Valor do projeto: R$ 132.605,00 (Cento e trinta e dois mil, seiscentos e cinco reais)
Explicação do projeto: O projeto consiste em promover desenvolvimento cultural, estímulo à sensibilidade e maior contato de crianças com a riqueza da Música Popular Brasileira através da fusão do universo musical e iniciativas que desenvolvam atividades físicas e autoconhecimento corporal usando a dança e técnicas circenses.
Esse desenvolvimento se dará através de oficinas de canto coral, percussão, dança e técnicas circenses, ministradas no primeiro semestre do ano de 2011, através de 02 aulas semanais, sendo disponibilizado a 60 crianças de classes sociais menos favorecidas no município de São Paulo.
Sinopse / resumo / comentário: O projeto “Os Novos Caminhos da Música” visa formar um grupo de 60 crianças com idade entre 06 e 14 anos, dividido em 04 núcleos: canto, dança, percussão e circo.
Outros detalhes do projeto: O projeto visa levar às crianças, um contato direto com a boa música popular brasileira, levando-as a conhecer e interpretar a obra de grandes nomes como Chico Buarque, Tom Jobim, Gilberto Gil, Luiz Gonzaga, dentre outros, através da mistura com o canto, a percussão, a dança e o mundo do circo, estimulando a sensibilidade através de técnicas de relaxamento e respiração, além de proporcionar um enriquecimento cultural, despertando o interesse da criança pela arte.
Tipo de Incentivo: Proac-ICMS

BLOGS: DIÁRIO DA ERA DIGITAL

Nº 20

Segmento do projeto ( X ) audiovisual  
Título do projeto: Blogs:Diários da era digital
Local do projeto e nome do local: cinemas 
Região do projeto / município / estado: São Paulo
Valor do projeto:   R$  100.000,00 (cem mil reais)    
 Temáticas:    (X )multimídia 
Explicação do projeto: O projeto Blogs - diários da era virtual é um programa de TV dividido em 3 capítulos de 26 minutos cada um, em que retrata o universo da blogosfera e suas particularidades.
Sinopse / resumo / comentário:  Os programas revelam quais as implicações do uso do blog no comportamento de uma sociedade contemporânea, dentro do processo de comunicação atual e permitem conhecer melhor os blogs, suas formas de composição, os blogueiros e suas realidades fora da tela.
Outros detalhes do projeto: Programa de TV
Estimativa de público e perfil:  50 mil pessoas,das classes A, B, C.
Plano de Mídia: A divulgação do programa será por meio das mídias sociais e através de inserções na grade de programação da TV.
Cotas de patrocínio: Cota única de patrocinio.
Benefícios oferecidos ao patrocinador: Doação de 50 DVDs do programa para instituições de ensino universitário; Criação de um blog com informações a respeito do projeto, entrevistados, sinopses do programa; Fotos e press-book (material para imprensa); Logomarca do patrocionador no início do programa;  Criação de compartilhamento “curtir” na rede social Facebook; Divulgação do programa via twitter dos produtores;Veiculação numa TV aberta; Agradecimento ao patrocinador em entrevistas, sempre que possível.

Tipo de incentivo: ( X ) Proac- ICMS/SP

Projeto 3x1: Sombras no PorÃo, A Pluma e a Pedra e Livrai-nos do Mal

Nº 21

Segmento do projeto: Teatro
Gênero: DRAMA
Título da peça / projeto:  Projeto 3x1: Sombras no Porão, A Pluma e a Pedra e Livrai-nos do Mal
Direção e autor:  Wilson Roque Basso
Teatro: Maria Della Costa
Valor do projeto: 243.045,00 (duzentos e quarenta e três mil reais e quarenta e cinco reais)
Tipo de incentivo: ProAc ICMS

Explicação do projeto:  O projeto será apresentado ao público com 3 histórias inéditas a preços populares, em diferentes dias da semana, sendo que o público pagará apenas 1 espetáculo e terá direito de assistir gratuitamente  os outros2  Os textos serão apresentados através de jogos cênicos e verbais; dentro de uma linguagem moderna, temas que retratam nosso dia-a-dia. Este é o ponto de partida deste projeto, pois acreditamos que ver e vivenciar, mesmo como espectadores, faz com que reflitamos sobre os dramas propostos em cada história. Diante disto, procuramos sempre atingir a verdade na arte teatral, fazendo com que o público se emocione e questione sobre a sociedade atual em que vive.

Sinopse:   “SOMBRAS NO PORÃO” – Conta a vertiginosa e dramática jornada de duas pessoas: Tommy e Alan que num certo ponto de suas vidas se vêem diante de um triste e aterrador desafio; colocar fim em suas angustias e tentar a todo custo conseguir o perdão e até mesmo alcançarem o paraíso.
“A PLUMA E A PEDRA” – Traz o drama de mãe e filha que depois de 15 anos, tentam reatar a amizade, o amor e acima de tudo, o perdão uma da outra, mas para isto terão que enfrentar, os terr´veis fantasmas do passado que assustam suas vidas e as impedem de serem felizes
“LIVRAI-NOS DO MAL” – Expõe o drama de Gabriel, um homem prestes a enfrentar um julgamento depois de cometer um assassinato. Nas visitas que recebe na delegacia, de sua advogada Helena, ele se vê diante de um espelho; a partir desse momento, as duas personagens se confrontam num jogo, colocando-os frente a frente com passado para conseguirem seguir em frente com suas vidas. Afinal a justiça está ao lado de quem?
As 3 histórias trazem, uma visão realista da vida, buscando uma análise humana através das personagens inseridas em cada história. Os textos foram criados a partir de acontecimentos relatados, com muita freqüência, pelas TVs, jornais e revistas, ou seja, foram extraídas do nosso cotidiano.  O Diretor pesquisou os assuntos propostos como: a Síndrome de Estocolmo, relações familiares, tipos de amores, traumas e afeto.  As pesquisas sempre foram acompanhados por uma psicóloga que complementava, durante as reuniões, dando uma visão mais ampla do que se passa na cabeça das pessoas a cometerem esses delitos que tanto assustam a sociedade moderna. 

Parceiros:FullTime

Produção/Produtora; Carlos de Almeida Braga/DZ.7 Produções Artísticas e Culturais Ltda

NO VERMELHO

Nº 22

Segmento do projeto: artes cênicas
Gênero: teatro
Título do projeto: No Vermelho
Autor / adaptação: Miriam Palma
Direção / coordenação: Marcos Loureiro
Associação / Grupo / Clube / Cia: Patricia Rigotti Produções
Local do projeto / nome do local: teatro
Região do projeto / município / estado: São Paulo / S.P.
Valor do projeto: R$ 216.000,00 (Duzentos e dezeseis mil reais)
Temáticas: educação e mulher
Explicação do projeto: O projeto será executado em 24 apresentações teatrais, onde visa trazer ao grande publico um espetáculo inédito em São Paulo.
O objetivo é levar ao grande publico, um espetáculo no qual será abordado os temas TPM e Corrupção.
Colocar em cena valores próximos aos espectadores de uma maneira bem humorada faz com que estes tenham um outro olhar sobre a situação.
Mixando dois temas sensiveis: corrupção e TPM, a autora Miriam Palma faz um divertido espetáculo mostrando atitudes praticadas em nosso cotidiano.
Miriam Palma propõe uma deliciosa cumplicidade com o espectador quando coloca em pauta a TPM, ou Tensão Pré-Menstrual, uma desordem física e emocional que pode ser causada por mudanças hormonais que ocorrem durante o período menstrual de uma mulher atrelada a corrupção política, muito em destaque em toda sociedade.
O tratamento dado ao texto faz com que o observador capte atitudes comuns em suas relações com o mundo.
A montagem deste excelente texto nos remete a pensar na realidade diária que nos sucumbe: a corrupção selvagem de terno e gravata.
Sinopse / resumo / comentário: O espetáculo é uma comédia que satiriza as situações que Suzy, uma dona de casa, atravessa por ter crises fortes de tensão pré-menstrual, que a deixa completamente fora de si, transformando-a literalmente num monstro. Ela está separando-se de Gerson, o marido, que é um político corrupto, por considerá-lo infiel . O amigo gay Léo, um advogado fracassado, é a única pessoa que percebe as falcatruas Gerson, mas é desacreditado por Suzy, até que aparecem Ivo e André, vítimas dele. Suzy envolve-se com André, filho de Ivo para vingar o pai, que está injustamente preso por causa de Gerson. Por fim , depois de quiproqüos e reviravoltas, cada um dos personagens encontra seu caminho, num final divertido e inusitado.
Estimativa de público e perfil, (quantidade e perfil): Expectativa e média de 534 pessoas por apresentação, totalizando um público de 16.800 espectadores distribuídos peças camadas A e B, além de ações promocionais específicas para levar camadas sociais não habituadas a frequentar teatros, com o objetivo de levar cerca de 8.400 pessoas a preços populares. Total do publico estimado é de 12.816 espectadores
Plano de Mídia: Cite quais mídias você usará: jornal, se é rádio, filipetas, cartazes; e quantidade de inserções, etc.
Material gráfico, tais como banners, cartazes, filipetas.
5.000 filipetas por semana, totalizando 60.000 filipetas ,01 banner e 40 cartazes
Anuncios em jornais, revistas.
Chamadas em rádios (60) inserções
Cotas de patrocínio: O projeto pode ser divido em cotas.
Podendo ser um único patrocinador apoiando o projeto na sua totalidade ou várias empresas.
No caso de várias empresas patrocinarem o projeto, a empresa que patrocinar com o maior valor entra como patrocinador master, os demais como co patrocinadores.
Benefícios oferecidos ao patrocinador: Logomarca em todo material gráfico de divulgação (banner, cartazes, filipetas, etc)
Ações promocionais
Divulgação da empresa patrocinadora em entrevistas realizadas pelo elenco do espetáculo sempre que permitida pelo veículo
A assessoria de imprensa do espetáculo fará toda a parte de divulgação, juntamente com o nome da empresa patrocinadora
Cota de convites para todas as sessões
Apresentação audiovisual produzida pela empresa patrocinadora para ser exibida antes de casa espetáculo
Agradecimento ao patrocinador no início e final do espetáculo
Estaremos cadastrando o público e esse mailing list será fornecido ao patrocinador
Tipo de incentivo: Proac- ICMS/SP

OS SONS DA PAZ

Nº 23

Segmento do projeto: Música
Gênero: Música
Título do projeto: Os Sons da Paz
Direção / coordenação: Luiz Augusto Righi
Local do projeto / nome do local: cinemas - Parque da Juventude
Região do projeto / município / estado: São Paulo / SP
Valor do projeto: R$ 114.380,20 (Cento e catorze mil, trezentos e oitenta reais e vinte centavos)
Explicação do projeto: O projeto visa produção e 02 apresentações de um espetáculo que reúne 60 crianças e adolescentes, vindos de diferentes classes sociais, que cantam, dançam e tocam instrumentos de percussão e que serão acompanhadas pela Banda “Social Samba Fino”.
Sinopse / resumo / comentário: O projeto “Os Sons da Paz” existe há 04 anos, oferecendo a crianças e adolescentes, a oportunidade de receberem gratuitamente aulas de canto, percussão e dança e, desde seu início, teve a preocupação de reunir crianças de diferentes classes, com a intenção de diminuir o abismo social existente entre as classes mais favorecidas e as que têm menor acesso à educação, cultura, saúde e as mínimas condições para uma vida digna.
Outros detalhes do projeto: Os espetáculos acontecerão no Parque da Juventude especificamente na área das muralhas, ruínas e estruturas metálicas remanescentes da antiga Casa de Detenção de São Paulo - Carandiru, preservadas da época em que o local abrigava o complexo penitenciário e que servirão como palco para as apresentações.
Tipo de incentivo: Proac- ICMS/SP

SARA, SEREIA E O BOTO AZUL - captado

Nº 24

Segmento do projeto: artes cênicas
Gênero: teatro
Título do projeto: Sara, Sereia e o Boto Azul
Local do projeto / nome do local: outros/ Escolas da Rede pública de ensino
Região do projeto / município / estado: Eixo Rio - SP
Valor do projeto: R$ 172.900,00 (cento e setenta e dois mil e novecentos) aprovado na Lei Rouanet ou R$ 150.700,00 (cento e cinqüenta mil e setecentos reais) aprovado no Proac ICMS
Explicação do projeto: O projeto “Sara Sereia e o Boto Azul” tem por objetivo a circulação gratuita de um espetáculo teatral de contação de histórias destinado ao público infantil. Este projeto pretende levar o teatro até as escolas da rede pública de ensino, possibilitando o contato de crianças com as artes cênicas e o acesso à cultura, o que contribui para a formação de público e para a inclusão social.
Sinopse / resumo / comentário: Através de elementos lúdicos e músicas, são apresentadas duas histórias inspiradas no folclore brasileiro: "Sara Sereia", que conta a história de Sara, uma jovem sereia que mesmo sem possuir pernas humanas, desafia os costumes de seu povo e resolve se tornar bailarina e "O Boto Azul", um boto que sofre a discriminação por ter nascido com a cor diferente de seus irmãos botos cor-de-rosa.
“Sara Sereia e o Boto azul” é um espetáculo de narração de histórias interativo, onde o público participa através de brincadeiras da tradição oral, que permeiam os contos narrados, tais como adivinhas, trava-línguas e brincadeiras musicais.
Também é destacada a narratividade das canções, conduzindo o público a “embarcar na história” e cantar junto músicas da nossa cultura popular e cantigas do cancioneiro tradicional.
Tipo de incentivo: Proac- ICMS/SP e Lei Rouanet

ASSOBIO DE VENTO PRA SEUZIR OS SOLITÁRIOS – CAPTADO

Nº 25

Segmento do projeto: artes cênicas
Gênero: teatro
Título do projeto: Assobio de vento pra seduzir os solitários
Local do projeto / nome do local: teatro
Região do projeto / município / estado: São Paulo/SP
Valor do projeto: 250.000,00 (duzentos e cinquenta mil reais)
Ficha técnica e artística dos envolvidos: Elenco: Leopoldo Pacheco, Marco Antônio Pâmio e Luiz Mário Vicente. Trilha sonora: Kid Vinil.
Explicação do projeto: Questões como o destempero masculino com a mulher contemporânea, muito distante do modelo idealizado com o qual os homens foram “educados” a lidar e a buscar; a virilidade como exigência única da condição do masculino; a dificuldade crescente em se manter relacionamentos duradouros, estáveis e sadios e a baixa auto-estima masculina são algumas das temáticas presentes no texto “Assobio de Vento Pra Seduzir os Solitários” e que também ganham a cada dia mais importância para a sociedade, que tenta se organizar em meio a novos valores e perspectivas.
À concretização desta montagem vem se somar o esforço de entender, decifrar e, quiçá, resolver tais angústias por meio das artes cênicas, seja pelas reflexões ali apresentadas, seja por estimular o debate de forma mais coletiva.
Sinopse / resumo / comentário: A peça inédita 'Assobio de Vento Pra Seduzir os Solitários' traz a conversa de três amigos de longa data que estão à espera de uma mulher. Esta espera é a representação de uma angústia frente às expectativas frustradas de uma vida em meio a uma sociedade que traz como dogma a obrigação em ser feliz de modos previamente determinados no que diz respeito às relações amorosas, profissionais e financeiras.
Temas como a obsessão por uma parceira idealmente perfeita, a masculinidade, a virilidade e, principalmente, o valor da amizade, transitam por diálogos ácidos, profundos e com o humor e poesia que só existe numa relação construída ao longo de anos de dedicação e, por isso, permeada de respeito e compreensão. Enquanto a espera angustia e desvanece algumas certezas, a amizade entre os três personagens se apresenta não como solução, mas como único bálsamo possível.
Outros detalhes do projeto: 39 apresentações em teatro com capacidade para 200 pessoas. Ingressos a R$ 30,00 e R$ 40,00.
Plano de Mídia: Assessoria de imprensa especializada, site de internet, inserções nos Guias Culturais dos grandes jornais e revistas.

TRÍADE

Nº 26

Segmento do projeto: artes cênicas
Gênero: teatro
Título do projeto: Tríade
Local do projeto / nome do local: teatro
Região do projeto / município / estado: São Paulo
Valor do projeto: R$ 148.326,20 ( cento e quarenta e oito mil, trezentos e vinte e seis reais e vinte centavos ).
Explicação do projeto: Alguns acreditam (ou acreditavam, há pouco) que a luta contra o preconceito sexual já havia alcançado seus objetivos. Está claro, porém, que ainda há muitas conquistas a serem feitas, o que ficou evidente em casos recentes como as agressões a homossexuais e a protelação para que se sancione a lei que pune a homofobia. Ainda há intolerância, preconceito e muito rancor no que envolve as diferenças.
Da mesma forma, ainda lidamos com um padrão pré-estabelecido de relacionamento. A monogamia fiel com duração eterna não só é idealizada, como nos é passada por todos os meios de comunicação como a única forma de relacionamento possível. No extremo oposto, há pessoas que, em resposta crítica a essa ideologia hegemônica do amor, pregam a falência desse tipo de relacionamento.
Descartando todos as cartilhas que tentam unificar as pessoas dentro de qualquer padrão, "Tríade", põe em choque todas as formas de se relacionar, através de um relacionamento entre dois homens, que vêem suas idiossincrasias postas em cheque ao não conseguirem conciliar suas diferenças. Os conflitos entre os dois personagens são os mesmos que há entre quaisquer outros seres humanos. Desta forma, a aceitação de um casal de homens não vem por meio de uma lição moralizante, mas pela via mais natural, ao ver que Guilherme e Vinícius agem como qualquer outro par amoroso.
Sinopse / resumo / comentário: A peça "Tríade" é formada por 4 cenas. Cada uma destaca um momento do relacionamento de Guilherme e Vinícius: o encontro, o ápice, a crise e o reencontro (que se dá no tempo atual). As três primeiras cenas, mais do que delinear o percurso da relação, apresentam, esclarecem e focam aspectos da personalidade dos personagens que se intensificam ao longo da história.
Guilherme e Vinícius têm muito em comum, gostam das mesmas coisas, mas há um hiato entre eles. Vinícius se sente ambiguamente desconfortável e dependente da relação monogâmica. Guilherme é ciumento e possessivo. Ambos carentes, criam máscaras invisíveis de personas seguras, que ostentam para esconder suas fraquezas. As rusgas crescem até o inevitável: Vinícius abandona o lar. O reencontro entre eles, um ano após o abandono, é a parte maior e mais importante da peça, o acerto de contas final.
Deste conflito surgem diversos temas como: a idealização do amor, confrontado com os percalços da convivência real; a transferência ao outro da responsabilidade pela felicidade conjugal; a necessidade de cuidar do outro confundida com subserviência e submissão; a necessidade de carinho confundida com dependência; a dificuldade em aceitar o que foge do campo racional; o medo de expor as próprias fraquezas; o apego involuntário a traumas do passado; o sentimento que contraria a razão. Como conciliar a existência de duas pessoas que não conseguem ficar juntas, nem separadas?
Outros detalhes do projeto: 34 apresentações. Ingressos a R$ 30,00. "Tríade" nasceu de "Sem retorno", peça de 20 minutos escrita por Kiko Rieser, a convite da Cia Os Satyros, para integrar a programação do DramaMix, nas Satyrianas de 2010. Encenada no mesmo evento, recebeu uma elogiosa crítica de Ruy Filho (http://antroexpostodialogos.blogspot.com/2010/12/sem-retorno.html), da qual destacamos o seguinte trecho: "A relação em si traz a naturalidade de qualquer relação, sem impor sua condição homossexual. O que é ótimo, pois nos obriga a enxergar o humano dentro dessa relação e não o exótico existente nas cabeças conservadoras e antiquadas. E é esse humano, reunido sob falas inquietas, que surge como construção cênica. A peça tem muito para mostrar."
Plano de Mídia: Assessoria de imprensa especializada, site de internet, inserções nos Guias Culturais dos grandes jornais e revistas
Cotas de patrocínio: Sugerida cota total (apresenta) de R$ 148.326,20. A conversar.
Tipo de incentivo: Proac- ICMS/SP

PARAISÓPOLIS – UMA CIDADE DENTRO DA OUTRA

Nº 27

Segmento do projeto: artes integradas
Gênero: exposição e livro
Título do projeto: Paraisópolis – uma cidade dentro da outra
Local do projeto / nome do local: SESC Pompeia
Região do projeto / município / estado: São Paulo/ São Paulo
Valor do projeto: R$1.180.000,00
Explicação do projeto: trata-se de um trabalho fotográfico e depoimentos em vídeo captados nas casas de moradores da comunidade de Paraisópolis., mas especificamente num bairro chamado Grotinho.
O trabalho teve como inspiração inicial a obra Parangolé de Helio Oiticica, cuja capa paira numa projeção holográfica sobre o skyline de abertura da exposição.
Este skyline de abertura, deste bairro do Grotinho, dentro de Paraisópolis, delimita nosso espaço de trabalho. Todas as casas que aparecem neste skyline estão sendo fotografadas. O trabalho pretende fazer um registro da estética deste segmento da população através de fotografias de suas casas.
Mostrar a "alma" de seus retratados através de fotografias do que lhes é mais ítimo: suas casas.
Tipo de incentivo: Proac- ICMS/SP


SEVEN – A HISTÓRIA DE UM ANÃO

Nº 28

Segmento do projeto: artes cênicas
Gênero: teatro
Título do projeto: Seven – A História de um Anão
Local do projeto / nome do local: teatro
Região do projeto / município / estado: Rio de Janeiro / RJ
Valor do projeto: R$ 104.000,00 (Cento e quatro mil reais)
Temáticas: Infantil
Explicação do projeto: Espetáculo Infanto-juvenil. Maria Luiza é uma jovem nada popular que ambiciona ser escritora. Uma oportunidade para isto surge com um concurso de redação na escola. Narrando as histórias de seus personagens imaginários, ela cria um mundo mágico para si mesma, onde as diferenças são virtudes. Um destes personagens é Seven, o anão mais alto do mundo, protagonista desta narrativa e braço-direito de Maria Luiza nessa trajetória de exploração de seus próprios talentos.
O espetáculo trabalha nos planos imaginários e reais na interação entre o mundo interior da menina e o mundo real. Para isso, uma projeção de vídeo interage com o cenário- e a encenação e figurinos marcam as diferenças entre os personagens do mundo real e os do plano da imaginação.
Objetivos:O projeto objetiva evocar com bom-humor, junto ao público infanto-juvenil, suas famílias e professores, a questão do bullying, das diferenças e da convivência, e celebrar as diferenças e a capacidade criativa do indivíduo dentro do cotidiano.
Justificativa: A sociedade contemporânea é marcada por discussões sobre as diferenças e a convivência harmônica com elas. Apesar de um maior espaço para esse tipo de debate e para a expressão do diferente, ainda encontramos manifestações fortes de preconceito, não só em discursos, mas também em agressões a minorias. O bullying é assunto cada vez mais presente na mídia e no cotidiano de crianças, adolescentes, famílias e educadores.
Nesse contexto, trazer esses assuntos para a cena de forma divertida pode nos dar novas perspectivas de como trabalhar a questão do preconceito, do respeito, do sofrimento que isso traz, do espaço de cada um.
Outro ponto relevante é o estímulo ao contato com a literatura. Atualmente, é comum ouvirmos de educadores e pais que é cada vez mais difícil criar nas crianças o hábito de leitura. Com a situação do concurso de redação, buscamos estimular esse interesse nos pequenos espectadores.
Estimativa de público e perfil ( quantidade e perfil ): Destinado ao público infantil. Estimativa de 1.400 espectadores, em temporada de dois meses, duas vezes na semana, condicionado ao tamanho do teatro.
Plano de Mídia: Filipetas: 10X15 couché 150g (quantidade:10.000)
Cartazes: A3 couché 150g (quantidade:500)
Banner: 90X100cm em lona (1)
Plano de Assessoria de Imprensa: 30 dias antes da estréia:
• Envio de notas para colunas de jornais de grande circulação sobre o espetáculo, usando de gancho pessoas da equipe.
• Envio de sugestão de pauta sobre o espetáculo para programas de entrevista, que falem sobre cultura, nas rádios e televisões.
• Envio de release para os cadernos de cultura dos jornais de grande circulação
15 dias antes da estréia:
• Envio de press release para Veja Rio, Globo Bairros e Megazine.
• Envio de press release para veículos especializados
7 dias antes da estréia:
• Envio de serviço para as sessões programação dos grandes jornais
• Envio de releases para as agendas culturais dos telejornais locais
1 dia antes da estréia
• Reenvio de release para as redações de jornais, revistas, rádios e tvs para cobertura da estréia
Temporada:
• Checar se o espetáculo está incluso na programação toda semana. Caso contrário, entrar em contato com a redação para resolver a questão para as semanas seguintes.
• Envio de material de divulgação, fotos, sugestões de pauta e notas, com o objetivo de municiar as redações para divulgação do espetáculo durante a temporada, como presença de pessoas ilustres na platéia, entre outros.
Obs: Durante todo o processo, a assessoria de imprensa deve realizar follow up do material enviado, negociando pauta com os jornalistas / produtores dos programas, visando fechar matérias e/ou entrevistas.
Cotas de patrocínio: O valor do projeto está dividido em 10 cotas de 10% do total, ou seja, 10 cotas de R$ 10.400,00 (Dez mil e quatrocentos reais). A contrapartida é proporcional ao número de cotas adquiridas pelo patrocinador.

Tipo de incentivo: Proac-ICMS/RJ


O LIBELO

Nº 29

Segmento do projeto: artes cênicas
Gênero: teatro
Título do projeto: O libelo
Autor / adaptação: Flávio Guedes
Direção / coordenação: Flávio Guedes
Local do projeto / nome do local: teatro / 102 Apresentações por cidades dentro do estado de São Paulo e Rio de Janeiro.
Região do projeto / município / estado: Cidade do estado de São Paulo.
Valor do projeto: R$ 457.543,52 (quatrocentos e cinqüenta e sete mil, quinhentos e quarenta e três reais e cinqüenta e dois centavos).
Ficha técnica e artística dos envolvidos: Anselmo Carneiro Almeida Vasconcelos (Rio de Janeiro, 1 de dezembro de 1953) é um ator brasileiro de cinema, teatro e televisão.
Já participou em mais de cinqüenta filmes, entre os quais se destacam: Se segura, malandro!, de 1978 e Bar Esperança, o último que fecha, de 1983, A república dos assassinos, de 1979, entre outros. atua no humorístico "Zorra Total", na Rede Globo.
Na televisão, participou de telenovelas e minisséries, no humorístico Bronco, exibido pela Band, e atualmente Suzana Ferreira Alves (São Paulo, 3 de agosto de 1978) é atriz, cantora, dançarina e modelo brasileira. Estudou canto, música e teatro com o Grupo Tapa e o Centro de Pesquisa Teatral, de Antunes Filho. Desde 2007, é integrante do Centro de Pesquisa em Experimentação Cênica do Ator (CEPECA-USP), onde desenvolve projeto de mestrado. Participou da série Mandrake, na HBO. No teatro, participou de montagens como A Babá (com direção de Bibi Ferreira e texto de Juca de Oliveira) e A Bela e a Fera (direção de Tatiana Dantas). No cinema, trabalhou nos filmes: O Cheiro do Ralo, Boleiros 2, Falsa Loura e Pólvora Negra. Hoje, divide seu tempo entre os ensaios para novos projetos teatrais e a sua primeira paixão, a dança. Ela dá aulas de danças para crianças carentes, da ONG Projeto Nazareth.
Flávio dos Santos (São Paulo, 18 de julho de 1976) é ator brasileiro de teatro, cinema e televisão. Além de exercer as funções de ator também se dedica como produtor , diretor teatral e televisivo.
Seguem alguns de seus últimos trabalhos: No cinema participou da produção, co-direção e atuou como ator dos filmes Meio Fio e O Ultimo Dia.
Na televisão participou de telenovelas e minisséries, como Revelação do SBT e programa Tribunal na TV pela BAND; no teatro possui sete peças escritas e quatro apresentadas além de vários documentários , atualmente atua como diretor de arte na DMC TV e Cia das Máscaras de SP.
Silmara Túrmina Maronezi ( Francisco Beltrão - Paraná, 29 de junho de 1974) É atriz brasileira de teatro, cinema e televisão, graduada UNIOESTE/PR, Pós-Graduada – UNICENTRO/PR e Stúdio Fátima Toledo/SP.
Participou de vários filmes no cinema e publicidade como: Cueca ao Avesso - Belê filmes e Cavídeo/ RJ, Estamos Juntos, Sem fôlego – Academia Internacional de Cinema/SP, Cabeça de Porco, Meio Fio e outros. Na Tv atuou em revelação do SBT, participação especial no clip do cantor Marcelo D2 e apresentou o programa Classe A pela emissora BAND de Tocantins. No teatro: - “ Coração de uma Estrela” – O MUSICAL, GRITO! – Da Obra de Plínio Marcos, EPISÓDIOS DE TANGO dirigido pela própria.
Explicação do projeto: O Libelo relata e dramatiza de forma sutil, cômica e poética o mais trágico erro judiciário da História do Brasil, ao contar o drama pessoal de Manoel da Motta Coqueiro, um homem inocente cuja condenação à morte acabou com a pena de morte no Brasil. Pouco tempo depois do enforcamento descobriu-se que o fazendeiro tinha sido a inocente vítima de um terrível erro judiciário. Abalado, o imperador Pedro II, um humanista em formação, começa a responder favoravelmente a todas as petições de graça que lhe são encaminhadas, primeiro apenas aos homens livres, depois aos alforriados e, por último, aos escravos.
Parceiros: Deus Ex Machina Cinema Group
Tipo de incentivo: Proac- ICMS/SP
Produção / Produtora/ Razão social: Flávio Guedes

UM SONHO ORIENTAL

Nº 30

Segmento do projeto: artes cênicas
Gênero: teatro/perfomance
Título do projeto: Um Sonho Oriental
Local do projeto / nome do local: teatro
Região do projeto / município / estado: São Paulo
Valor do projeto: R$ 98.000,00 (Noventa e oito mil Reais)
Temáticas: outros / Cultura Chinesa
Explicação do projeto: Apresentar um total de 04 performances com duração de 50 minutos, que contará com a participação de 30 atores/artistas marciais a fim de mostrar a cultura chinesa através da sua festa tradicional de ano novo, especialmente através das performances de arte marcial, alegorias como os leões e dragões, manipulados por pessoal especializado, de forma a promover a fusão das artes cênicas, marcial e cultura chinesa em um único espetáculo, no qual a interpretação cênica está estruturada na linguagem corporal performática, proporcionando ao público uma grande experiência estética. Teremos 30 artistas marciais em palco – todos com alta graduação em Kung Fú, muitos inclusive, conquistaram vários títulos internacionais.
RESUMO: O espetáculo está estruturado em 17 cenas, sendo que há um mínimo de falas, inseridas nos momentos iniciais e finais apenas para fazer a ligação entre os elementos de performance. Os cenários e alegorias obedecerão fielmente o significado e simbolismo da cultura que se pretende retratar, e algumas alegorias serão produzidas por artesãos de oficina, sendo utilizados e manipulados os animais mitológicos dragão e leões (traje vestido e manipulado por artistas com formação especial).
SINOPSE: A história se inicia no quarto de dormir de duas crianças que são irmãs e após um longo dia juntas e de alguns desentendimentos por conta de não conseguirem se relacionar de forma integrada e colaborar uma com a outra, vão dormir contrariadas.
Neste momento elas recebem a visita da fada dos sonhos, que lhes propõe uma fantástica viagem. Serão conduzidas a conhecer uma cultura totalmente diferente da delas, irão conhecer a passagem para o ano novo na China!
Naquele incrível país tudo é diferente, inclusive seu ano novo que ocorre em data diferente da maioria do resto do mundo!
A partir disso passam a observar e participar dessa grande festa popular, dos costumes, da estética e da beleza de um povo que manifesta milhares de anos de sua cultura sintetizados neste tão aguardado evento.
Essa inesquecível experiência os transforma profundamente, pois observam dentre muitas outras coisas que lá na China, o povo consegue grandes resultados devido à cooperação entre seus membros.
Após essa rica vivência acordam em seus quartos sob a indagação se tudo não passou de um sonho!
Outros detalhes do projeto:
• Apresentar o espetáculo de forma dinâmica e original, utilizando inclusive a performance com armas tradicionais do kung fu chinês (como facão, espada, bastão, lança, nunchaco, leque, etc.), mantendo-se o elo entre a parte composta por texto e as apresentações marciais, bem como, ressaltando a expressão da cultura da China formando um conjunto harmônico.
• Demonstrar a essência da manifestação cultural do povo chinês através da utilização de anteparos, como elaborações simbólicas extraídas da cultura chinesa que se constituem na manifestação física do pensamento, filosofia e cultura desse povo.
• Manter a fidelidade com os elementos estéticos atinentes à simbologia e significado profundo, manifestados por meio dos componentes físicos dispostos no cenário, bem como, do figurino e elementos alegóricos manipulados pelos atores e bailarinos, no caso, os leões e dragões tradicionalmente confeccionados à mão por artesãos de oficina.
• Proporcionar o contato com a milenar cultura chinesa, seus costumes e sua ancestral tradição.
• Levar a compreensão do enredo e do contexto da história através da linguagem visual, tanto na forma explosiva de movimentos rápidos e precisos a serem executados, bem como, paradoxalmente na delicadeza singular e suavidade desses mesmos movimentos, em perfeito equilíbrio entre os opostos.
• Demonstrar principalmente ao público jovem as tradições dessa ancestral cultura e que o fundamento de sua filosofia está na devoção e dedicação para a obtenção de resultados excepcionais através do domínio físico e mental.
• Ressaltar que o desenvolvimento do pensamento filosófico leva ao domínio de si mesmo e como via de conseqüência, incorpora no indivíduo o princípio da não violência ensinado pela arte do kung fu.
• O espetáculo demonstrará por meio da linguagem lúdica a essência do pensamento e da cultura chinesa e sua íntegra consistência, proporcionando ao público a reflexão sobre valores sociais, participação, cidadania, conceito de coletividade.
Estimativa de público e perfil, (quantidade e perfil): Serão 04 apresentações gratuitas, levando-se em conta a capacidade no geral dos teatros serem para 500/600 pessoas, previmos uma média de 3.000 espectadores.
Por se um espetáculo performático e altamente visual é indicado para todas as faixas etárias.
Plano de Mídia: Cite quais mídias você usará: jornal, se é rádio, filipetas, cartazes; e quantidade de inserções, etc.
• Assessoria de impressa,
• 5.000 filipetas,
• Cartazes,
• Banners,
• Divulgação através de equipe de panfletagem
Cotas de patrocínio: Valor do projeto é de R$ 97 mil, de preferência patrocínio exclusivo
Benefícios oferecidos ao patrocinador: Quatro apresentações exclusivas, podendo ser trabalhado comunidade, clientes, fornecedores, funcionários, etc.
Tipo de incentivo: Proac- ICMS/SP


ENCONTRO DE TRUPE TEATRAIS

Nº 31

Segmento do projeto: Festival de Teatro
Gênero: teatro
Título do projeto: deTrupe – Encontro de Grupos Teatrais
Associação / Grupo / Clube / Cia: Grupo Milongas
Local do projeto / nome do local: teatro
Região do projeto / município / estado: Rio de Janeiro - RJ
Valor do projeto: R$ 234.382,00 (Duzentos e trinta e quatro mil trezentos e oitenta e dois reais)
Temáticas: mostra de grupos teatrais
Explicação do projeto: O deTrupe – Encontro de Grupos Teatrais, é um encontro teatral realizado pelo Grupo Milongas. O encontro tem como objetivo o intercâmbio entre grupos de teatro, de diversas partes do Brasil ou mesmo de outros países. O intuito é que grupos consolidados possam mostrar o resultado de suas pesquisas e também conhecer o trabalho realizado por grupos de outros lugares. Além das apresentações, previstas para teatro e também para espaços públicos, a segunda edição do deTrupe prevê a realização de duas oficinas, voltadas para a arte-educadores e para a classe artística do Rio de Janeiro. O investimento em prol da realização do deTrupe, além de promover a troca entre diferentes grupos teatrais, se converterá em benefícios para o público carioca, que será agraciado com uma grande diversidade de espetáculos, de diferentes linguagens, palestras e oficinas.
Sinopse / resumo / comentário: O deTrupe – Encontro de Grupos Teatrais é um evento cultural que reunirá 19 grupos e artistas, totalizando 19 apresentações. Dessas apresentações, 4 serão realizadas em espaços públicos, sendo gratuitas, as demais terão ingressos vendidos a preços populares, cujo valor será estabelecido juntamente com a direção do espaço onde se desenvolverá o evento. Serão oferecidas também, ao longo do evento, duas oficinas com 25 vagas cada uma. 20% dessas vagas serão destinadas a arte-educadores e estudantes em arte que comprovem vínculo com alguma instituição de ensino, incluso as instituições públicas, e que justifiquem o recebimento da bolsa através de carta de intenção. O evento ocorrerá do dia 10 ao dia 19 de agosto de 2012.
Outros detalhes do projeto: A primeira edição do detrupe aconteceu durante todo o mês de agosto de 2011 e contou com os seguintes participantes:
Teatro Phi (Santiago / Chile)
Ciudad Puerto Teatro (Maracaibo / Venezuela)
Dona Joana (Rio de Janeiro/RJ)
Circo do Mato (Campo Grande/MS)
Teatratividade Cia Teatral (Curitiba/PR)
cia dos palhaços (curitiba/pr)
Cia. Baiana de Risos (Bahia/BA)
A Patela Cia de Teatro&Dança (Belo Horizonte/MG)
Coletivo Teatral Sala Preta (Barra Mansa/RJ)
Boa Praça (Rio de Janeiro/RJ)
Teatro do Nada (Rio de Janeiro/RJ)
Estimativa de público e perfil, (quantidade e perfil): O público abordado para este festival se dá em duas frentes: artistas, integrantes de grupos de teatro, ou interessados neste universo; e moradores da cidade do Rio de Janeiro, que terão uma série de eventos culturais diversificados, dos quais poderão participar gratuitamente ou a preços populares. Espera-se atingir até 5.000 espectadores contabilizando o público das apresentações no teatro e em espaços públicos.
Plano de Mídia: Assessor de imprensa – durante o mês anterior da estréia e nos meses de temporada; Designer gráfico; Fotógrafo para divulgação;
Material Gráfico: Cartazes – Papel Couche 180g Laminado, Cor 4/0, 30x42 - 300 unidades;
Convites – Formato 10,5 x 15 cm, impressão 4x4 cores sobre papel cartão supremo 350g, com aplicação de verniz - 1.000 unidades;
Filipetas – Papel Couche 120g, Cor 4/0, 10x15 - 10.000 unidades;
Programa / Folder – impressão 4x4 cores, formato 10,5 x 29,7 cm, couché 120g - 6.500 unidades;
Banner externo – Em lona front, impresso em 100% policromia, com formato 3,40 x 0,90 metros e acabamento em tubete em todo o perímetro - 1 unidade;
Banner interno – Em lona front fosca impresso em 100% policromia com formato 2,60 x 0,80 metros e acabamento em tubete - 1 unidade;
Outras Mídias: Bus Door – 90cmx1m com acabamento - 10 unidades;
Edição de vídeo promocional – para uma possível parceria cultural com uma emissora e divulgação em programas de TV; Criação e gravação de mídia para Rádio – para uma possível parceria cultural com uma estação e divulgação em programas de rádio;
Envio dos convites – para críticos de teatro, patrocinador, apoiadores e formadores de opinião;
Mídia Impressa – Anúncio Do Jornal “O GLOBO” – Rio Show – 2 Colunas X 4cm = 8cm de área, Colorido – Clube do Assinante - 2 semanas.
Cotas de patrocínio: O patrocínio está previsto para um cota, podendo ser dividido em duas, conforme a necessidade do patrocinador.
Benefícios oferecidos ao patrocinador: A produção se compromete a reservar ao patrocinador 10% dos ingressos de cada uma das sessões do “deTrupe – encontro de grupos teatrais”; a logo do patrocinador estará presente em todo material de divulgação, nos anúncios de mídia impressa, radiofônica e televisiva; o nome do patrocinador será mencionado em toda e qualquer entrevista de rádio, ou televisada. Tal menção se dará também por meio de locução gravada, antes do início de cada apresentação.
Tipo de incentivo: Proac-ICMS/RJ


MANTO DOS SONHOS

Nº 32

Segmento do projeto: audiovisual
Gênero: televisão
Título do projeto: Manto dos Sonhos
Autor / adaptação: Hidalgo Romero
Direção / coordenação: Hidalgo Romero
Local do projeto / nome do local: televisão
Região do projeto / município / estado: São Paulo - SP / Recife - PE / Condado - PE / Aliança - PE / Porto Real do Colégio - AL
Valor do projeto: R$ 99.817,20 (noventa e nove mil, oitocentos e dezessete reais e vinte centavos)
Elenco / Artistas / atores / cantores / artista plástico, etc: Renata Rosa, artista da cultura popular.
Ficha técnica dos principais envolvidos: Direção: Hidalgo Romero / Direção de Produção: Julio Matos / Direção de Fotografia: Coraci Ruiz / Técnico de Som: Ricardo Zollner
Explicação do projeto: Programa para televisão de 52 minutos que descreve a relação da musicista paulistana Renata Rosa, com artistas e brincantes da cultura popular dos estados de São Paulo, Pernambuco e Alagoas.
Sinopse / resumo / comentário: Manto dos Sonhos tem como base de sua estrutura o espetáculo musical da artista Renata Rosa, também chamado de Manto dos Sonhos. Entre cada música do espetáculo será montado um pequeno documentário com as principais referências musicais e artísticas da musicista, nos locais em que ela realizou sua pesquisa musical, com as pessoas que a influenciaram. Esta estrutura propõe que sejam evidenciados os principais elementos de uma relação entre músicos da cultura popular e músicos da indústria fonográfica.
Outros detalhes do projeto: O projeto conta com cartas de interesse para exibição da TV Brasil e da TV Unicamp.
Parceiros:
Tipo de incentivo: Proac- ICMS/SP

ALAMBIQUE SÃO PAULO - EXPOSIÇÃO DE FOTOS

Nº 33

Segmento do projeto: artes visuais
Gênero: exposição
Título do projeto: Alambique São Paulo – documentário e exposição de fotos
Autor / adaptação: Garapa Coletivo Multimídia
Direção / coordenação: Garapa Coletivo Multimídia
Local do projeto / nome do local: Local a ser definido
Região do projeto / município / estado: a ser definido
Valor do projeto: R$ 199.940,00 - (cento e noventa e nove mil, novecentos e quarenta reais)
Elenco / Artistas / atores / cantores / artista plástico: Garapa Coletivo Multimídia
Ficha técnica dos principais envolvidos: O Projeto “Alambique São Paulo” será realizado pelo Garapa Coletivo Multimídia. O Coletivo será o responsável técnico pelo Projeto e realizará a captação do material audiovisual durante a fase de Expedição. Garapa é um coletivo fundado pelos jornalistas e fotógrafos Leandro Caobelli (proponente no PROAC), Paulo Fehlauer e Rodrigo Marcondes. Desde 2007, a Garapa tem explorado diversas tendências da produção audiovisual e online contemporânea, desenvolvendo uma reconhecida produção independente. A Curadoria será feita pelo Professor Ronaldo Entler, fotógrafo, doutor em artes pela ECA-USP, pós-doutor em multimeios pelo IA-Unicamp.
Explicação do projeto: O projeto prevê o desenvolvimento de uma Expedição audiovisual e jornalística pelo interior do estado de São Paulo para produzir um mapeamento cultural sobre a cachaça. Uma equipe composta de jornalistas e equipe audiovisual viajará por cinco cidades entre a Baixada Santista e o Vale do Paraíba, consideradas referência histórica e cultural da cachaça no estado. Serão levantadas histórias, hábitos, costumes e tradições que tornaram a bebida um dos maiores ícones da cultura brasileira. O material captado dará origem a Mostra “Alambique São Paulo”, uma exposição interativa, onde o público poderá usufruir de diferentes plataformas artísticas – fotografias, vídeos, áudios, textos e objetos – para apreender o conteúdo.
Outros detalhes do projeto: Além da Exposição, o projeto também prevê a produção de um catálogo diferenciado (integrando imagens e histórias) e um site.
Parceiros: Paralelo / Mapa da Cachaça
Tipo de incentivo: Proac- ICMS/SP

 

 

NOËL ROSA – O POETA, O MÚSICO, CRONISTA DE UMA ÉPOCA

Nº 35

Segmento do projeto:   artes cênicas  
Gênero:   teatro
Título do projeto: Noël Rosa – O Poeta, o Músico, Cronista de Uma Época 
Local do projeto / nome do local (Xteatro 
 Região do projeto / município / estado: São Paulo – SP
Gênero: espetáculo cênico musical – musicas ao vivo
 Valor do projeto
ROUANET:   R$ 540.328,00  ( SÃO 36 APRESENTAÇÕES DE 6ª Á DOMINGO- 3 MESES )
PROAC-ICMS-SP :  R$ 250.000,00  - ( 24 APRESENTAÇÕES – 2 MESES, 6ª A DOMINGO )
 TemáticasX )3ª idade  ( X ) outros: jovens e adultos.: vida e obra de Noël Rosa, um dos maiores compositores brasileiros de todos os tempos. 
Algumas músicas que serão tocadas:
Com que roupa? – 1929 (Noël Rosa)
Três Apitos – 1931 (Noël Rosa – póstumo)
Feitio de Oração – 1933 (Noël Rosa e Vadico)
O Orvalho Vem Caindo – 1933 (Noël Rosa e Kid Pepe)
Linda Pequena (Pastorinhas) – 1934 (Noël Rosa e João de Barro)
Conversa de Botequim – 1935 (Noël Rosa e Vadico)
Feitiço da Vila – 1934 (Noël Rosa e Vadico)
Pierrô Apaixonado – 1935 (Noël Rosa e Heitor dos Prazeres)
O X do problema – 1936 (Noël Rosa)
Último Desejo – 1937 (Noël Rosa)
Fita Amarela – 1932 (Noël Rosa)
Explicação do projeto: Este espetáculo cênico-musical objetiva dar continuidade às homenagens a Noël Rosa mesmo após o centenário do nascimento desse grande artista, permanecendo em cartaz durante três meses(de sexta-feira a domingo) em um teatro de fácil acesso, na cidade de São Paulo.  A vida de Noël desfila pelo palco: os problemas familiares (pai suicida, irmão epiléptico), os envolvimentos amorosos, a polêmica musical com Wilson Baptista, a luta íntima contra o defeito facial (provocado pelo parto a fórceps), os amigos cantores e/ou compositores (Almirante, Lamartine Babo, Joel e Gaúcho, Nonô, Orestes Barbosa, Nássara, Ismael Silva, Wilson Baptista, Homero Dornellas, Braguinha, Vadico, Mário Lago, Mário Reis, Francisco Alves, Aracy Cortes, Aracy de Almeida e Marília Baptista) até o momento da morte precoce, porém o enfoque especial dá-se às grandes obras que ele compôs em apenas 7 anos (1929 a 1937) e – inédito – o fato que inspirou cada criação.
Doze atores da CYa. Grita Absoluta interpretarão 42 personagens e cantarão, ao vivo, 42 músicas (39 de Noël e 3 de Wilson Baptista), algumas  coreografadas, acompanhados pelo Grupo JB Samba.
Sinopse / resumo / comentário: lGênero:  biografia musical /
lDuração: 2 horas (intervalo de 10 minutos entre os 2 atos)
lLinguagem: preserva o tom coloquial da época, utilizado pelo pessoal do morro e da cidade.
lCenário: o interior (sala de estar e quarto) do chalé onde morava Noël Rosa, o botequim onde se reuniam os amigos, o quarto de Ceci, a delegacia de polícia e o cabaré.
lAção: 1910; 1929 a 1937.
lFigurinos: da época.
lCoreografias: idealizadas de acordo com a época, como, por exemplo, um baile de carnaval.
lMúsica: ao vivo, principalmente de Noël Rosa, mas com novos arranjos, mais modernos.
lPúblico-alvo: Voltada para qualquer tipo de público, de qualquer classe social e idade, esta peça é um musical que encerra drama e comédia.  A terceira idade vai deliciar-se por recordar; já a maturidade e a juventude vão conhecer e compreender o que representou, no Brasil, a Época de Ouro do Samba.
 Outros detalhes do projeto: A música brasileira constitui patrimônio inestimável para a humanidade, mas, em geral, tem maior reconhecimento do público internacional, porque o brasileiro tem contato principalmente com o que se divulga nos grandes meios de comunicação, mais imediato e de fácil assimilação, e esses meios não dão prioridade a autores do passado. Talentos e obras admiráveis muitas vezes são esquecidos ou subvalorizados pela posteridade, o que gera um entendimento distorcido de si mesmo por parte do brasileiro, que, carente de hábito ou de formação estética, mal se percebe em seus valores e sensibilidade, oriundos apenas de músicas que cantarola e dança sem  saber o autor. A principal meta deste projeto é levar essas informações àqueles que amam a boa música, em especial o samba, mas pouco sabem dos que o popularizaram e traduziram, em verdadeiros poemas, nossa brasilidade. Nosso desejo é que se conheça a importância da Época de Ouro para a música atual e se descubra que tantas canções que ainda hoje se cantam, gravadas por Zeca Pagodinho, Maria Rita, Inimigos da HP, entre tantos outros, têm um autor genial: Noël Rosa!
Depois de uma temporada muito bem-sucedida de dois meses com esse espetáculo (em maio e junho de 2011), queremos dar continuidade ao projeto e voltar a encenar a peça teatral Noël Rosa – O Poeta, o Músico, Cronista de Uma Época, de autoria de Cybele Gianinni, mantendo-a em cartaz nos palcos paulistanos por três meses, com três sessões semanais, num total de 36 apresentações
Estimativa de público e perfil  ( quantidade e perfil ): por volta de 9.000 pessoas. 
Plano de Mídia: Cite quais mídias você usará: jornal, se é rádio, filipetas, cartazes e quantidade de inserções, etc.
Paga: folder, flyer, cartaz, banner e inserções em jornais e revista.
Espontânea: e-mail, nosso site, TV, rádio, revistas espeializadas de teatro. 
Cotas de patrocínio: ROUANET: O patrocinador poderá doar todo o valor (R$540.328,00), ou metade (R$270.164,00)/ ProAC: R$250.000,00 (Total) ou R$125.000,00 (parcial). 
Tipo de incentivo(X) Proac- ICMS/SP    ( X ) Lei Rouanet   
 Parceiros / apoiadores do projeto:  Na temporada passada, tivemos o patrocínio da Brahma e da Eurofarma, pelo ProAC-ICMS e o apoio cultural de: Folha de S. Paulo, Fing’rs, Lukscolor, Payot, Perucas Hi Fi, Camisaria Colombo, Miguel Giannini Óculos, Casa do Bixiga Antigo, Giannini Instrumentos Musicais, Gope, Depósito de Meias S. Jorge, Bazar 25 de Março, Origini, Casa do Tule, Bolsa Nacional de Compensados, Prefeitura de S. Paulo, Ricci & Colella, Estúdio Cápsula, Cantina D’Amico Piolim, Restaurantes Planeta’s e Luna di Capri, Saldit Software

 

 

NOËL ROSA – O POETA, O MÚSICO, CRONISTA DE UMA ÉPOCA

Nº 37

Segmento do projeto:  ( x ) artes cênicas 
Gênero:  (  x) teatro  
Título do projeto: Circulação Comédia para a Melhor Idade “A Última Carta de Papai” 
Local do projeto / nome do local (x ) teatro - espaços alternativos como áreas de convivência e salões.
Região do projeto / município / estado: Ilhabela, Bertioga, Santos, Praia Grande, Cubatão, Iguape, Ilha Comprida, Cananéia, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Osasco, Cordeirópolis, Araraquara, São José do Rio Preto e Três Fronteiras, (ou a critério do patrocinador)
Valor do projeto: R$ 249.700,00 (duzentos e quarenta e nove mil e setecentos reais)
 Temáticas:   (x  )3ª idade 
Explicação do projeto: Realizar em 15 cidades do interior do Estado de São Paulo itinerência e manutenção do espetáculo “A ULTIMA CARTA DE PAPAI” de minha autoria (Edivaldo Costa – sócio fundador da Cia. Teatral Arueiras do Brasil) em Centros Comunitários, ONG`s e, Associações de Bairro.
Levaremos à cena espetáculo teatral de linguagem cômica, que discuta o cotidiano da “melhor idade”, fazendo com que estes tenham clareza de suas possibilidades e de sua integração nos padrões de comportamento contemporâneo, tendo como foco a relação social, e perceber que as diferenças entre grupos e entre indivíduos são as regras e não a exceção.
A Cia Teatral Arueiras do Brasil também possibilita ao seu publico a discussão de ideias propostas no espetáculo e a vivência teatral, através de bate-papo após cada apresentação.
Realizaremos 30 apresentações em 15 cidades do Estado de São Paulo sendo duas apresentações em cada cidade entre os meses de Julho a Novembro de 2012 com o intuito de proporcionar de forma alegre e descontraída acesso à população de baixa renda a democratização da arte.
As cidades já foram contatadas e se manifestaram favoráveis ao projeto colocando-se a disposição. São elas: Ilhabela, Bertioga, Santos, Praia Grande, Cubatão, Iguape, Ilha Comprida, Cananéia, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Osasco, Cordeirópolis, Araraquara, São José do Rio Preto e Três Fronteiras.
Todas as apresentações são gratuitas com estimativa de 250 espectadores por sessão.
A principal meta requerida é de contribuir para o resgate do valor social do idoso. E para que essa vivência possa ocorrer com plenitude é necessário trabalhar pela disponibilização do corpo e da mente – que o processo natural de envelhecimento aliado ao processo cultural de segregação costuma tornar atrofiados.
Sinopse / resumo / comentário:  
Sobre o espetáculo: Sob a ótica da comédia de costumes, a trama, composta por quatro personagens, gira em torno do desaparecimento de “papai”, que aos 75 anos de idade sai de casa deixando uma carta. Dagmar, a filha mais velha, convoca a família para juntos terem acesso ao conteúdo da carta. Porém, carregada de preconceitos e percebendo a mudança de comportamento do pai, faz de tudo para convencer os irmãos que o motivo do desaparecimento é muito claro: Papai arrumou uma amante!
Um espetáculo concebido especificamente para a melhor idade, de forma descontraída e muito bem humorada. Discute temas como: relação familiar, sexualidade na melhor idade e o preconceito.
Justificativa:
Sendo o teatro um veículo de comunicação que amplia as relações, expõe e esclarece conflitos e comportamentos como uma espécie de lente de aumento, tornando mais evidente os temas abordados e provocando uma reflexão natural nas pessoas, a Cia. Teatral Arueiras do Brasil vem propor a demonstração e consequentemente a discussão sobre o comportamento do idoso dentro da sociedade contemporânea.
Sabemos que atualmente o ser humano vive em média o dobro do tempo da expectativa de vida de cem anos atrás e as projeções apontam para um crescimento ainda mais expressivo da população de idosos.
Gradativamente o preconceito a essas pessoas está perdendo campo. Hoje em dia várias atividades estão direcionadas aos idosos, principalmente em programas de incentivo a pratica de atividade física como melhoria da qualidade de vida.
Mas não é somente essa atividade que deve ser incentivada, é preciso cuidar da memória e informar nossos idosos da mesma forma que informamos nossas crianças e adolescentes, a fim de que haja uma melhor integração entre gerações.
É com a finalidade de informar e fazer refletir que após pesquisas no âmbito comportamental dessa faixa etária, deu-se inicio a este projeto de circulação inicialmente no SESC Santos intitulado como “Teatro Reflexão”, tendo como objetivo principal situações do cotidiano proporcionando o resgate dos valores perdidos no tempo, através de uma reflexão realizada ao final de cada apresentação com os atores, autor e o público presente.
A Cia. Teatral Arueiras do Brasil é responsável pela criação e realização deste e de mais dois espetáculos também de minha autoria com uma receita técnica e profissional onde o prazer, informação, reflexão e o bom humor são os principais alimentos para alcançarmos à felicidade na melhor idade.
Objetivos Específicos:
"A ULTIMA CARTA DE PAPAI" aborda assuntos como: exclusão social; finitude; solidão; possibilidades de mudanças; relação familiar; frustração; sexualidade na terceira idade; preconceito e situações limites, que fazem refletir frente aos valores internos.
Realizar apresentações em teatros e espaços alternativos (salões, bibliotecas e áreas de convivência), com a finalidade de dar nova função ao espaço e ainda possibilitar o acesso a todos.
Promover a formação de público;
Estimular o respeito não apenas da própria cultura, mas também a do próximo.
Valorizar novas dramaturgias no teatro contemporâneo destinado ao público adulto ou específico para a melhor idade.
Outros detalhes do projeto:
Estimativa de público e perfil, (quantidade e perfil):
7.500 pessoas. Todas as apresentações serão gratuitas.
Plano de Mídia: Plano de Divulgação e Contrapartidas:
Divulgação em mídia impressa (jornais/revistas)
Flyers eletrônicos
Banners,
Assinatura no banner da fachada:
Assinatura nos ingressos, convites e credenciais da imprensa.
Confecção de 100 camisetas com o nome do espetáculo e as logomarcas dos patrocinadores e apoiadores. 70% serão sorteados gratuitamente nos espetáculos, 20% p/patrocinadores e 10% p/grupo.
Coquetel de Pré estreia com apresentação exclusiva para patrocinadores e convidados.
Menção dos patrocinadores através de entrevistas para jornais, rádio e televisão feita pelos produtores, Cia Arueiras e atores em todos meios de comunicação do projeto.
Menção de que as empresas (Patrocinadoras) confirmam o seu compromisso com a cidadania, inclusão social e com o Meio Ambiente.
Menção da importância em se apoiar projetos aprovados por leis de incentivos fiscais incentivando de forma direta as pequenas, grandes empresas e comércio a contribuir para o crescimento da cultura e educação do País. 
 Menção fundamental da democratização e o acesso facilitado ao espetáculo aos portadores de necessidades especiais.
Assinatura do Material Gráfico e Quantidade:
BANNER >>> Impressão, 70x120cm, 2 (duas) unidades, frente.
MINI-CARTAZ >>> Impressão, 31x44cm, 200 unidades, frente.
Flyer Eletrônico Promocional:
Assinatura no flyer eletrônico com 2 (dois) disparos mensais p/ mailing contendo 10.000 nomes dos vários segmentos artísticos e empresas patrocinadoras, instituições culturais, escolas municipais, estaduais  universidades, entre outros;
Cotas de patrocínio: Cite em quantas partes está dividido o valor do projeto e como deverá proceder o patrocínio.
Cota - A
Patrocinador
100% - R$ 249.700,00
Cota - B
Patrocinador
75% - R$ 187.275,00
Cota – C
Co-Patrocinador
50% - R$ 124.850,00
Os apresentadores, Patrocinadores e Apoiadores terão seus logotipos divulgados e expostos de acordo com sua participação nas cotas de patrocínio, nos seguintes itens:
O destaque e o tamanho dos logotipos dos apresentadores, patrocinadores e apoiadores do espetáculo serão feitos de acordo com a hierarquia entre essas categorias. É importante ressaltar a associação altamente positiva e carismática de uma empresa com um projeto cultural e ambiental. Esta imagem é reconhecida tanto pelos espectadores diretos quanto por todos que têm acesso à mídia escrita ou falada.
Benefícios oferecidos ao patrocinador:
Tipo de incentivo: ( x ) Proac- ICMS/SP    
Valor para captação, elaboração e agenciamento: Consta no projeto 22.700,00. O valor a ser pago em caso de captação será de 24.970,00 Vinte e quatro mil novecentos e setenta  reais, ou seja 10% do valor bruto.

 

 

MALANDRO BELEZA – REMINISCÊNCIAS CARIOCAS

Nº 39

Gênero: crônicas
Título: “Malandro Beleza – reminiscências cariocas”
Autor: Nilo Marques Braga
Local de lançamento: Rio de Janeiro e São Paulo - capitais
Local de distribuição: livrarias de todo o Brasil
Valor do projeto: R$ 97.306,00 (aprovado pela Lei Rouanet e Lei do ISMS – RJ)
Tipo de incentivo: Proac-RJ e Rouanet
Ficha técnica (currículo resumido): autor do livro
Nascido em 11 de agosto de 1931, morou até a adolescência na Rua General Pedra, paralela à Avenida Presidente Vargas, ao lado dos trilhos da Central do Brasil. Quando menino, o espaço que tinha para brincar era a Praça Onze. Percorria os seus quatro cantos, vendo tudo o que acontecia por ali: final dos desfiles dos Ranchos, desfiles das Grandes Sociedades, início dos desfiles das Escolas de samba, rodas de batuque e encontros para cantar Partido Alto. Durante a juventude, nas grandes cervejarias e nos movimentados cafés conheceu inúmeras personalidades boêmias. Nas gafieiras, a começar pela Banda Portugal, na Praça Onze, conheceu famosos bailarinos. Finalmente encontra os malandros, suas estórias e suas mulheres e a falsa e a verdadeira malandragem que eram, sem dúvida, uma escola de vida.
Torna-se jornalista, no final dos anos 50, iniciando carreira na grande escola que foi o jornal Diário Carioca. Exerce a profissão durante 45 anos, trabalhando em inúmeros jornais, revistas, agências de notícias e em assessorias de imprensa de empresas públicas. Aposentou-se no Ministério dos Transportes – DNER, onde editou a revista Rodovia durante cinco anos. No Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro – TCMRJ foi nomeado para o cargo em comissão de Secretário II – 2003 / 2004.
Ligado ao samba, nos anos 50 e 60, frequentou as reuniões da Associação das Escolas de Samba, na Rua Joaquim Palhares, que terminavam com a apresentação de compositores e músicos ligados às escolas. Em 1960 cria, com o advogado Antonio Barroso, o Grupo Raízes, que apresentava a velha e a nova guarda do samba e tinha entre os seus participantes/convidados: Candeia e Walter Rosa, da Portela; Aniceto de Menezes, Milton Copolino, D.Yvone Lara e Aluisio Machado, do Império Serrano; Cartola, Padeirinho, Darcy da Mangueira e Pelado, da Mangueira; Martinho da Vila, de Vila Isabel. O Grupo sobreviveu até o final de 1964, no Clube Orfeão Portugal, na Tijuca.
Torna-se jornalista, no final dos anos 50, iniciando carreira na grande escola que foi o jornal Diário Carioca. Exerce a profissão durante 45 anos, trabalhando em inúmeros jornais, revistas, agências de notícias e em assessorias de imprensa de empresas públicas, sendo a última no DNER, Ministério dos Transportes, onde durante cinco anos foi editor da revista Rodovia, e lá se aposentou.
No Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro – TCMRJ foi nomeado para o cargo em comissão de Secretário II – 2003 / 2004.
Atualmente escreve esporadicamente matérias para algumas revistas e jornais. Nos últimos 2 anos tem se dedicado a finalizar o livro em questão, que há cerca de um ano vem tentando editar, primeiramente inscrevendo o projeto nas leis de incentivo: Lei Rouanet (aprovado com publicação no D.O.U em 30/01/2012, com prazo de captação até 31/12/2012) e Lei do ICMS/RJ (aprovado com publicação no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro em 30/11/2011, com prazo de captação de 2 anos). Neste período foram feitos contatos com algumas editoras e enviadas partes do livro (sumário, cartas de apresentação, introdução e duas ou três crônicas) ou na íntegra quando solicitado. Estas últimas mostraram interesse em publicar o livro mediante patrocínio.

Temáticas: As crônicas registram os redutos boêmios e personagens tipicamente cariocas, dos anos 50 e 60, em bairros próximos ao Centro e alguns do Subúrbio. As estórias verdadeiras, vivenciadas pelo autor, envolvem comportamentos, valores, cordialidade, violência, problemas sociais, amor e sexo, jogo e prostituição entre outros temas.
Resumo do projeto:
Trata-se de um livro de crônicas que pretende resgatar a memória do Rio de Janeiro, especialmente dos seus redutos boêmios, nos anos 50 e 60, narrando estórias verídicas envolvendo tipos e situações testemunhadas pelo autor, sobretudo nos bairros próximos ao Centro da cidade.
São 30 crônicas, agrupadas em oito bairros: Estácio de Sá, Praça Onze, Catumbi, Zona do Mangue, Lapa, Mangueira, Vila Isabel, Tijuca, e finalizando, Subúrbio que inclui alguns bairros da região. Estes bairros constituem o principal cenário das estórias, que foram registrados pelo autor, durante sua intensa vivência nos botequins, dancings, gafieiras e clubes sociais onde se encontrava a verdadeira alma carioca da época.
O Estácio e o Catumbi eram redutos de sambistas e partideiros; o Catumbi destacou-se pelos desfiles de seus Ranchos e Blocos Carnavalescos; em Vila Isabel o samba e a boemia resistem até hoje; na Praça Onze, a casa de Tia Ciata, é considerada o berço do samba, assim como a Lapa foi o berço da boemia, que agora renasce; na comunidade da Mangueira o samba floresceu; no subúrbio se destacavam as grandes Escolas de Samba, os Clubes Sociais e as animadas gafieiras, verdadeiras escolas de dança, onde se encontravam grandes bailarinos. A crônica “Quando dançar significava apenas dançar...”, que inicia o livro, mostra o quanto e onde o carioca dançava naquela época, do subúrbio e Centro até as boates da Zona Sul.
O livro apresenta de modo especial a figura do Malandro, instituição genuinamente carioca, e cada vez mais improvável nos dias de hoje, pela banalização da violência, deterioração dos valores e pressão da luta pela sobrevivência. Não se trata do trambiqueiro, ao contrário, ele tinha seu código de ética. A qualidade fundamental do malandro de verdade é ser elegante. Não só no trajar, mas em todas as suas ações, até mesmo numa discussão, depois de fazer o impossível para evitá-la. E um de seus atributos, responsável por torná-lo um irresistível sedutor, era o fato de ser também um grande bailarino. O tipo, que chamei de “malandro beleza” e dá título ao livro, está representado por protagonistas de algumas crônicas.
Enfim, os vários “personagens”, seus hábitos e comportamentos, sua realidade social e cultural, compõem um painel revelador de uma época e de um modo de ser carioca, que vem se perdendo no tempo, mas não deveria ser esquecido.
Outros detalhes do projeto:
As crônicas estão agrupadas em nove bairros: Lapa, Praça Onze, Zona do Mangue, Estácio de Sá, Catumbi, Mangueira, Vila Isabel, Tijuca, e por último Subúrbio, que agrupa algumas crônicas relacionadas a esta região do Rio. As folhas de abertura, que trazem o nome de cada bairro - inclusive a folha de abertura da crônica que inicia o livro, que mostra o papel da dança e seus ambientes no lazer e na sociabilidade do carioca na época, com o título “Gafieiras, dancings e boates da cidade” -, terão ilustrações que podem referir-se a uma ou mais crônicas inseridas em cada bairro. Cada um dos dez desenhos deve expressar as características marcantes dos personagens, cenários e situações relatadas nas respectivas crônicas, e o conjunto dele comporá um painel de aspectos do Rio de Janeiro da época. Neste sentido, se optará por desenhos que tenham um estilo aproximado ao Naif que atendem muito bem ao objetivo.
Estimativa de público e perfil:
A boemia carioca e a figura do Bom Malandro (ou Malandro Beleza como eu o chamei no livro) é tema de interesse geral, até fora do Brasil. A distribuição do livro será nacional e estará pelo menos nas livrarias de todas as capitais, não sendo possível portanto fazer uma estimativa quantitativa da venda do livro. Para a primeira edição está prevista a impressão de 3 mil exemplares. É evidente que o livro tem um apelo especial para as pessoas que viveram o Rio da época – anos 50, 60 especialmente mas também anos 70. Por este motivo se fará um lançamento no Rio e em São Paulo, onde existe um forte reduto de samba. Como as gafieiras, dancings e também os bailes em clubes sociais são cenários de algumas crônicas, a proposta é que o lançamento do livro, ao menos no Rio, seja feito em uma gafieira, com o conjunto “Samba de Fato” tocando os grandes sambas, choros, boleros e outros ritmos tocados nos bailes da época.
Plano de mídia:
1 . Material de divulgação: a - convites impressos e eletrônicos. b - marcadores de livro (para serem distribuídos nas livrarias), além de um percentual de exemplares, a combinar, a serem entregues para a editora e o patrocinador. c – cartazes para o lançamento (inicialmente no Rio e em São Paulo).
d – release (texto de apresentação do livro, do autor e do patrocinador para todas as mídias dando todos os subsídios importantes para elaboração de matérias). Em todas as peças de divulgação terá em destaque o logotipo da empresa patrocinadora, no caso do livro a referência ao patrocínio e a respectiva marca sairão na capa.
2. Contratação de assessoria de imprensa especializada para se obter divulgação ampla e eficiente por meio das seguintes ações: a - envio de convite impresso, release, foto do livro para todas as mídias (jornais, revistas, TVs e rádios). b – contato direto com os editores e/ou redatores dos Cadernos de Cultura dos principais jornais e revistas do Rio e São Paulo e por e-mail ou telefone no caso de publicações de outros estados, para sugestão de reportagens, entrevistas, artigos e notas (estas para colunas e seções). c – contato com os responsáveis por programas de rádios e TVs voltados para a cultura, especialmente literatura. d – para os principais jornais e revistas, sobretudo do Rio e São Paulo, será enviado um exemplar do livro dirigido às respectivas editorias de cultura. e – envio de convites eletrônicos para os lançamentos do livro, com base na agenda pessoal do autor, além daqueles enviados para a mala direta da editora e da empresa patrocinadora, se ela assim desejar.
Cotas de Patrocínio: O patrocínio pode ser dividido em cotas, podendo ter um único patrocinador com 100% das cotas, ou mais de uma empresa apoiando o projeto – de preferência duas - com os seus percentuais previamente definidos. Como o projeto está aprovado em duas leis de incentivo (Rouanet e ICMS/RJ) existe a possibilidade de uma mesma empresa utilizar-se das duas formas de incentivo desde que o total a ser patrocinado não ultrapasse o valor aprovado nas duas leis que é o mesmo, ou seja
R$ 97. 306,00. Há ainda a possibilidade de duas empresas patrocinarem o projeto da mesma forma: cada uma utilizando de uma das leis de incentivo, sempre respeitando o total aprovado. No caso de ter mais de uma empresa patrocinadora, haverá a divisão do espaço de inserção da logomarca sob a palavra “Patrocínio” em todo o material gráfico, divisão que deverá ser proporcional ao percentual da cota investida por cada empresa.
Reproduzo abaixo a planilha orçamentária preenchida para inscrição do projeto nas Leis de Incentivo em que foi aprovado. A forma como as etapas de produção com os seus respectivos custos são divididas pode facilitar a divisão das cotas, na medida em que elas devem estar relacionadas a itens diferentes do orçamento:
1. pré-produção - pesquisa e finalização do texto (já concluídos). Custo: R$9.000,00

2. produção/execução – copidesque, coordenação editorial, ilustrações, projeto gráfico (capa, miolo, convites, filipetas ou marcadores de livro e cartazes), editoração eletrônica, scanner, impressão e supervisão gráfica. Custo: R$63.310,00
3. divulgação e mídia – assessoria de imprensa (contato direto com a mídia do Rio e São Paulo: distribuição de releases, convites e alguns exemplares - releases para a mídia nacional), correio e frete (envio obrigatório de exemplares do livro e convites de lançamento para os órgãos públicos que concederam o Incentivo Fiscal: MINC e Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro), lançamento no Rio (contratação de salão e conjunto musical); lançamento em São Paulo (passagens aéreas – ida e volta e hospedagem). Custo: R$8.000,00
4. despesas administrativas – assessoria jurídica (contratos com editoras), coordenação administrativa- financeira (prestação de contas). Custo: R$7.700,00
5. impostos /tarifas/seguros – tarifa de manutenção de conta bancária e ECAD. Custo: R$495,00
Benefícios oferecidos ao patrocinador:
Além da divulgação da empresa patrocinadora, por sua marca estar com destaque em todo o material de divulgação citado no Plano de Mídia, e também na capa dos 3.000 exemplares do livro, à empresa será destinada 10% da edição, que corresponde a 300 exemplares.
Parece-me também interessante, sobretudo para uma empresa instalada no Rio de Janeiro, ter a sua marca associada a um projeto que contribui para resgatar a memória da cidade, que vem se transformando e se descaracterizando tão inexoravelmente. Houve muitas mudanças na qualidade de vida, na qualidade das relações e nos valores. A população dobrou várias vezes, a sociabilidade tornou-se infinitamente menor. Não havia esta avalanche de meios eletrônicos de comunicação - para certas finalidades hoje imprescindíveis – mas que de certa forma afastam as pessoas do convívio. A velocidade da tecnologia e a competição feroz pela sobrevivência nos impõe um ritmo estressante, por isto, no período retratado no livro, a vida era mais leve, mais inocente, mais lúdica e festiva.
Estas características, tão associadas ao carioca, encantam o resto do Brasil e do mundo. Portanto, saber mais sobre a vida na cidade, nos anos 50 e 60, é de interesse geral; sobretudo porque no livro todos os personagens, situações e ambientes são reais, foram vivenciados pelo autor e registrados no momento em que ocorreram e formam assim um painel muito vivo de aspectos cidade, de sua gente, naquele tempo.
A ideia de fazer o lançamento em uma gafieira com músicas da época, faz parte da proposta de resgate desta memória, mas também traz uma vantagem adicional que é a mídia que o evento pode suscitar, certamente muito maior que um lançamento convencional em livraria. Por meio de algum conhecimento que o autor tem no meio jornalístico, por ter sido também profissional da área, pretende-se utilizar todos os meios de comunicação para divulgar o livro, seu lançamento e consequentemente a marca do seu patrocinador , por meio de entrevistas, matérias, artigos e notas. Temos por princípio o dever de prestigiar o patrocinador, pela sustentação que dão aos projetos culturais e outros de interesse social, ou seja, proporcionando as condições efetivas para que as obras sejam criadas e produzidas. Assim sendo, além do nome e marca sairem na capa do livro, nos convites, nos marcadores de livro e cartazes, em todas as entrevistas que forem conseguidas nas diversas mídias manifestaremos os nossos agradecimentos ao patrocinador.
Tipo de incentivo:
- Lei Rouanet e Proac - ICMS/RJ

 

 

PEdra DA MEMÓRIA

Nº 41

Segmento do projeto ( X ) audiovisual   
Gênero:   ( X ) livros  (X ) exposição  
Título do projeto: Pedra da Memória
Local do projeto / nome do local:   ( X ) livraria  (X ) teatro ( ) praças ( ) cinemas ( X ) outros/ indique nome: museus, galerias, centros culturais, pontos de cultura, cinemas etc.
Região do projeto / município / estado:
São Paulo (SP), São Luís (MA), Recife (PE)
 Valor do projeto:  indique valor numérico e por escrito 
Valor de R$ 166.391,00 – ( cento e sessenta e seis, trezentos e noventa e um reais )
 Temáticas: (X )educação   humanidades, publicação de livro, cultura popular, tradições brasileiras.
Explicação do projeto: 
O projeto Pedra da Memória, que recebeu duas vezes o Prêmio Interações Estéticas da FUNARTE, realizou, ao longo de dois anos, registros de mais de 30 comunidades de tradições musicais em 6 estados brasileiros, e também na África, quando levou ao Benin uma comunidade afro maranhense liderada por Mestre Euclides Talabyan, um dos ícones de nossa cultura tradicional, registrando encontros e celebrações. Dirigido pela musicista e pesquisadora Renata Amaral, o projeto reuniu mais de 300 horas de registros audiovisuais e 10 mil fotos no Brasil e no Benin, além de entrevistas e depoimentos fundamentais da memória destes mestres. Este material, já organizado e pré editado em um documentário de 58 min, tem como objetivo a finalização técnica do filme e a publicação de um livro de arte, que trará encartado o DVD, revelando em edição esmerada os textos destas memórias e depoimentos, cujo foco foi a relação entre memória e criação, e as fotos realizadas ao longo da pesquisa. O filme traz um diálogo estético entre as tradições populares do Brasil e do Benin, revelando seus vínculos e particularidades, conduzido por desenhos de Carybé.
O projeto prevê ainda a realização, em São Luís (MA) e São Paulo (SP), de eventos de lançamento da publicação, com exposição fotográfica, exibições do filme e rodas de conversascom Mestre Euclides, Brice Sogbossi e Renata Amaral. 
Graças aos prêmios que possibilitaram 2 anos de residências artísticas no nordeste e sudeste do Brasil e na África, somados aos 20 anos de estreita convivência de Renata com estas comunidades, Pedra da Memória reuniu um enorme acervo de registros de alta qualidade técnica e estética, que acompanhou mestres e brincadeiras por longos ciclos de festejos. O objetivo do projeto é trazer a público um material inédito e precioso sobre as tradições populares brasileiras e sua relação com os afro brasileiros do Benin, em uma aproximação poética e reveladora conduzida pela memória de Mestre Euclides e os desenhos de Carybé. Esta memória é pedra fundamental da construção da identidade brasileira .
 Os escravos que saíam do porto de Ouidah (Benin) rumo ao novo mundo, eram levados antes à Árvore do Esquecimento, plantada pelo rei Agadja em 1727. Em torno desta árvore, os homens deveriam dar nove voltas, e as mulheres sete, para que se esquecessem de suas origens, sua identidade cultural, suas referências geográficas.
Sabiam os mercadores de escravos que a memória é arma poderosa de resistência, ferramenta de identidade e instrumento de criação. Mnemósine, deusa grega que é a personificação da Memória, não por acaso é a mãe das Musas. Pedra da Memória quer fazer o caminho inverso da Árvore do Esquecimento, e fomentar os re-conhecimentos.
Sinopse / resumo / comentário:  O projeto propõe a publicação do livro Pedra da Memória, com textos editados a partir de mais de 80 entrevistas realizadas com mestres e brincantes de 6 estados brasileiros, em relatos que remontam ao século XIX, resgatados pela tradição oral ouvida de seus pais e avós em gerações de artistas populares e sacerdotes. Reveladoras, estas memórias são pedra fundamental da construção de nossa identidade. Com texto de Renata Amaral, prefácio por Brice Sogbossi. Tiragem - 2000 exemplares, 320 páginas. 
Finalizar o documentário, cujo formato (56min) é direcionado à exibição em TVs e festivais. Já editado a partir de mais de 300hs de registros inéditos e imagens de acervo, serão realizados os tratamentos de áudio, imagem/cor, legendagem em inglês e francês, e videografismos com desenhos de Carybé. Prensagem - 2000 cópias encartado no livro. 
Realizar 2 eventos de lançamento em São Luís (MA) e São Paulo (SP), com a montagem de uma exposição fotográfica, exibições do documentário e rodas de conversas com a participação de Mestre Euclides e o antropólogo Brice Sogbossi, sempre com entrada franca. 
Distribuir gratuitamente 30% da tiragem para as comunidades registradas no projeto e 10% da tiragem a escolas, bibliotecas e outros equipamentos culturais. 
LIVRO 320 páginas + CAPA
MIOLO: Tamanho 30x30cm (fechado), 4x4 cores, papel couchê liso LD 150 g/m²
CAPA: Tamanho 32x68cm (aberto), 4x0 cores, papel couchê liso LD 150 g/m²
GUARDA: 4 folhas, 30x30cm, sem impressão em Off-set LD 150g.
ACABAMENTO: Capa-dura com guardas, Costurado, Colado, Laminado fosco (CAPA), High Gloss (CAPA), faca/envelope para DVD.
Tiragem: 2000 exemplares. 
DVD
NTSC, cor, duração 56 minutos, áudio português 2.0, legendas em inglês e francês
Tiragem: 2000 cópias
 Outros detalhes do projeto: 
Os Agudás são hoje cerca de 10% da população do Benin. A herança brasileira lá é surpreendente e pouco conhecida. Com a abolição da escravidão, escravos forros, em geral pequenos comerciantes e artesões, voltaram daqui para o Benin, formando uma elite local que dominou o comércio e a construção civil do país por toda a 1ª metade do séc XX. Os Agudás se consideram brasileiros, invertem desconcertantemente nossa noção de ancestralidade cultivando com impressionante dedicação tradições de seus antepassados como o Carnaval, a Festa do Senhor do Bonfim e a Burrinha. 
A maior parte dos custos, (viagem, equipe, registros, direitos, edição, etc), já foi viabilizada pelas premiações, tornando muito favorável o custo para a finalização de uma publicação deste porte. O material é inédito e surpreendente. A doação de 30% da tiragem às comunidades registradas fomenta seu protagonismo e continuidade. 
Veja mais:
Clipe doc:
www.youtube.com/watch?v=xeI3WquHKaw 
Publicações:
marcushistorico.blogspot.com/2010/08/pedra-na-memoria.html
www.cultura.ma.gov.br/portal/sede/index.php?page=noticia
diariodoandre.com/2010/08/12/volta-inversa-na-arvore-do-esquecimento/ 
Doc FANTI ASHANTI:
www.youtube.com/watch?v=B6iypRcSy44&feature=related
(parte1) www.youtube.com/watch?v=h36GBjnG0Q4&feature=related (parte2)
Estimativa de público e perfil , ( quantidade e perfil ): 
10.000 pessoas - leitores, musicistas, escolas, professores, intelectuais, comunidades tradicionais, etc.
 Plano de Mídia:  
Assessoria de Imprensa: Realizada pela ECOAR – Escritório de Comunicação e Artes, se dará durante todo o projeto e nos lançamentos, a fim de obter resultados significativos em mídia espontânea.
 Mailing eletrônico: E-Flyers enviados para um mailing list de aproximadamente 130 mil pessoas, com o apoio da Rede Nacional de Pontos de Cultura e do Ponto de Cultura Convergência Digital. 
Material gráfico: 100 Cartazes (42x30cm couchê F180g) e 4000 convites/postais (10x15cm couchê F150g) distribuídos em locais estratégicos de afluxo do público alvo por ocasião dos lançamentos. Banners afixados nos locais dos lançamentos. 
Distribuição: 30% dos produtos (livro/DVD – 600 exemplares) distribuídos para comunidades tradicionais, escolas, Pontos de Cultura e outros equipamentos culturais.
Cotas de patrocínio:  
Uma cota: R$ 166.391,00 – Patrocínio exclusivo – APRESENTA
Duas cotas: R$ 83.195,50 – Patrocínio
Três cotas: R$ 55.463,66 – Co-Patrocínio
 Benefícios oferecidos ao patrocinador:  Cota de 10% da tiragem da publicaçãp (livro + DVD – 200 exemplares) para distribuição do patrocinador. 
Logomarcas da empresa aplicadas na programação visual dos produtos, na página de apresentação e contracapa/livro e no rótulo/DVD. 
Logomarcas aplicadas em todas as peças gráficas (cartazes, postais/convites, banner)
 Logomarca em tela cheia nos créditos iniciais e finais do documentário
 Autorização de uso dos registros do projeto para uso institucional da empresa.
 Divulgação do patrocínio da empresa em toda oportunidade de divulgação do projeto, inclusive press-releases e entrevistas
 Realização de Exposições, exibições do filme e roda de conversas gratuitas em São Luís (MA) e São Paulo (SP)
 Doação de 20% dos produtos às comunidades de tradição popular visitadas pelo projeto, para venda/divulgação de suas atividades
 Doação de 10% dos produtos a equipamentos culturais
 A visibilidade da marca permanece além da execução do projeto com a exibição do filme em TVs e festivais e a distribuição gratuita das publicações

Tipo de incentivo: (  X ) Proac

 

 

 


OS NOVOS CAMINHOS DA MÚSICA

Nº 34

Segmento do projeto: Artes
Gênero: Oficinas de canto, dança e música.
Título do projeto: Os Novos Caminhos da Música
Direção / coordenação: Luiz Augusto Righi
Local do projeto / nome do local: Parque V. Guilherme - Trote
Região do projeto / município / estado: São Paulo / SP
Valor do projeto: R$ 132.605,00 (Cento e trinta e dois mil, seiscentos e cinco reais)
Elenco / Artistas / atores / cantores / artista plástico:
Ficha técnica dos principais envolvidos: Produtor, coordenador, professora de canto, professora de dança, professor de percussão, professores de circo, merendeira, monitora, montadores e roadies.
Explicação do projeto: O projeto consiste em promover desenvolvimento cultural, estímulo à sensibilidade e maior contato de crianças com a riqueza da Música Popular Brasileira através da fusão do universo musical e iniciativas que desenvolvam atividades físicas e autoconhecimento corporal usando a dança e técnicas circenses.
Esse desenvolvimento se dará através de oficinas de canto coral, percussão, dança e técnicas circenses, ministradas no primeiro semestre do ano de 2011, através de 02 aulas semanais, sendo disponibilizado a 60 crianças de classes sociais menos favorecidas no município de São Paulo.
Sinopse / resumo / comentário: O projeto “Os Novos Caminhos da Música” visa formar um grupo de 60 crianças com idade entre 06 e 14 anos, dividido em 04 núcleos: canto, dança, percussão e circo.
Outros detalhes do projeto: O projeto visa levar às crianças, um contato direto com a boa música popular brasileira, levando-as a conhecer e interpretar a obra de grandes nomes como Chico Buarque, Tom Jobim, Gilberto Gil, Luiz Gonzaga, dentre outros, através da mistura com o canto, a percussão, a dança e o mundo do circo, estimulando a sensibilidade através de técnicas de relaxamento e respiração, além de proporcionar um enriquecimento cultural, despertando o interesse da criança pela arte.
Tipo de incentivo: Proac- ICMS/SP

 

 

Varandear

Nº 36

Segmento do projeto:    Música
Gênero: (X ) música  
Título do projeto: “Varandear”
Local do projeto / nome do local:  ( X) teatro
Região do projeto / município / estado:  São Paulo (SP), Suzano (SP), Recife (PE), São Luís (MA).
Valor do projeto:  R$149.996,00 – cento e quarenta e nove mil, novecentos e noventa e seis reais.
Temáticas: ( X )mulher  Social
Explicação do projeto: O projeto propõe a gravação do CD Varandear, de Renata Amaral, e a realização de dois espetáculos de lançamento.
Sinopse / resumo / comentário:  O projeto propõe:  Registrar e finalizar o CD VARANDEAR, produzido por André Magalhães, um dos principais produtores da cena independente paulistana, com tiragem de 1000 cópias.  Realizar dois concertos de lançamento em São Paulo, oferecidos com entrada franca ou a preços populares, que além da participação de artistas de gêneros tradicionais contará com recursos cênicos e projeção de imagens.
 Criar um site para divulgação do trabalho, disponibilizando livremente fonogramas em mp3, bem como fotos, textos, trechos em vídeo dos espetáculos e gravações originais das manifestações populares.
Outros detalhes do projeto:
Primeiro disco solo da musicista e pesquisadora Renata Amaral, VARANDEAR é resultado de mais de 15 anos de pesquisas e de convivência intensiva com nossas culturas tradicionais, seus mestres e artistas. Tambores e batuques, diversos sotaques de Bumba Boi, Cocos, Pontos, Maracatus, Carimbós e Folias formam a base do CD, que terá a participação de mestres de tradições populares como PAI EUCLIDES TALABYAN, MESTRE HUMBERTO DE MARACANÃ, MESTRE WALTER DO MARACATU ESTRELA BRILHANTE, CAIXEIRAS DO DIVINO e outros. A pesquisa de formas, instrumentações, ritmos e melodias destes gêneros a partir do olhar contemporâneo das composições de Renata, trazem a este registro uma sonoridade única.
Estimativa de público e perfil , ( quantidade e perfil ):
A estimativa de alcance de público do projeto é: CD: 6000 pessoas, Espetáculos: 1.000 pessoas, Site: cerca de 15.000 acessos
Plano de Mídia: Cite quais mídias você usará: jornal, se é rádio, filipetas, cartazes; e quantidade de inserções, etc.
Assessoria de Imprensa: Realizada pela ECOAR – Escritório de Comunicação e Artes, se dará durante todo o projeto observando as características específicas das mídias locais, a fim de obter resultados significativos em mídia espontânea.
Material gráfico: 200 cartazes (42x30cm couchê F180g) e 4.000 convites/postais (10x15cm couchê F150g) distribuídos em locais estratégicos de afluxo do público alvo. 1.000 programas distribuídos nos espetáculos. 2 Banners afixados nos locais das oficinas e espetáculos.
mailing eletrônico: E-Flyers enviados para um mailing list de aproximadamente 130 mil pessoas, com o apoio da Rede Nacional de Pontos de Cultura e do Ponto de Cultura Convergência Digital
 Divulgação em redes sociais (Facebook, Twiter), My Space, e outras redes, grupos e fóruns virtuais.
 Distribuição: 20% dos produtos (CD – 400 exemplares) distribuídos para comunidades tradicionais, escolas, Pontos de Cultura e outros equipamentos culturais.
Cotas de patrocínio: Cite em quantas partes está dividido o valor do projeto e como deverá proceder o patrocínio.
Uma cota: R$ 149.996,00 – Patrocínio exclusivo – APRESENTA
Duas cotas: R$ 74.998,00 – Patrocínio
Três cotas: R$ 48.998,66 – Co-Patrocínio
Benefícios oferecidos ao patrocinador: Cite o que você oferece ao patrocinador, se for o caso, além de cotas de patrocínio.
Cota de 15% da tiragem (150 CDs) para distribuição da empresa.
Logomarcas da empresa aplicadas na programação visual dos produtos - na página de apresentação do encarte, na contracapa e no rótulo do CD, na página inicial do site.
Logomarcas aplicadas em todas as peças gráficas de divulgação (cartazes, convites, programas, banners).
Banners c/ as logomarcas afixados nos locais dos espetáculos.
Divulgação do patrocínio Empresa em toda oportunidade de divulgação do projeto, inclusive press-releases e entrevistas.
Cota de 10% dos ingressos para os espetáculos para distribuição interna do patrocinador.
Doação de 20% da tiragem (200 CDs) para instituições culturais.
Realização de 2 espetáculos abertos ao público, com entrada franca
Desconto nos ingressos para funcionários e clientes da empresa, extensivo para programas de fidelização.
A visibilidade da marca permanece além da execução do projeto com a distribuição dos CDs e os acessos ao site.

 Tipo de incentivo: ( x ) Proac- ICMS/SP

 

 

Vibrafone chorÃo

Nº 38

Segmento do projeto Música
Gênero:   (  x) música  
Título do projeto: Vibrafone Chorão
Local do projeto / nome do local:  teatro Estúdio 185 de gravação de cd – prensagem, de 3000 cds
Região do projeto / município / estado:São Paulo
Valor do projeto:    R$ 63.341,00 (sessenta e três mil, trezentos e quarenta e um reais)
Temáticas: formação de público e divulgação do estilo musical choro, com caráter contemporâneo
 Explicação do projeto: Realizar a gravação de um CD de Chorinho diferenciado. Um CD que se
inspira no passado para o presente, numa releitura criativa e cativante, através do Vibrafone. Cinco jovens músicos se unem num estilo importante da nossa cultura para registrar uma abordagem moderna, inovadora e pessoal, num repertorio de novas musicas do grupo. 
Outros detalhes do projeto:  
*Descrição:
O projeto consiste na confecção de um CD com 12 musicas de autoria dos integrantes do grupo através de novos arranjos e de uma atitude moderna de produção. Seus exemplares serão cedidos gratuitamente à Instituições ligadas a Arte-Educação em diversas regiões do Brasil, preferencialmente aquelas que
lidam com comunidades carentes e possuam discotecas de uso comunitário
*Objetivos 
O Projeto Vibrafone Chorão tem o objetivo de realizar a gravação de um CD, com o repertorio que o grupo desempenha em seus shows e rodas de Choro, que acontecem ha mais de 2 anos, obtendo exito e sucesso em relaçao ao publico cativo.
Pretende divulgar o estilo do choro e utilizar o vibrafone ,um instrumento pouco conhecido na nossa música, como principal condutor do CD. Buscar através do vibrafone uma identidade contemporânea e nacional. 
*Justificativa 
O público é quem torna real a música. Um jovem pode ser tocado ao ouvir uma novidade musical e pode decidir por um certo estilo de musica, o choro por exemplo. 
O trabalho do grupo tem aumentado seu alcance no que diz respeito ao perfil de público. Devido ao caráter de resgate de nossas raízes e nossa historia, as musicas despertam interesse junto a comunidade jovem, pela sofisticação dos instrumentos utilizados. Assim, acaba por despertar o interesse daquele
espectador mais conectado com as tendências culturais. Por outro lado, tem um grande alcance junto às comunidades carentes pelo que diz a própria experiência do grupo. O fato de usar o vibrafone torna o CD acima de tudo moderno e atrativo.
 Outras Informações do Projeto: O  vibrafonista  e  percussionista  Ricardo  Valverde  ao  lado  dos 
músicos  Luis  Passos  (bandolim),  Deni  Domenico  (cavaquinho), Wesley desenvolvem  um  trabalho  ha  3  anos.São  cinco  musicos  com  diferentes que  somam  e  recriam  um  choro  contemporâneo  e  moderno  que acrescenta inovaçoes ao CD. 
Estimativa de público e perfil , ( quantidade e perfil ):
Pela fabricação de 3000 cds , estimamos que ao menos 6000 pessoas tenham acesso á marca do patrocinador por contato direto com o produto, que será vendido á preço populares em rodas de choro de São Paulo e de todo o Brasil.
Sendo os cds também dsitribuidos em associações culturais, estimamos que o público alvo seja desde jovens e crianças que aprendem esse estilo até fiéis consumidores e apreciadores do estilo ,caracterizado pelo constante  fluxo da terceira idade, presente em todas as rodas de choro do país.
 Plano de Mídia:
 Plano de Comunicação  junto ás instituições que receberão os cds
• Assessoria de imprensa especializada notificando a gravação e lançamento do cd
• Anúncios jornal ( guias ), roteiros, guia off junto ás instituições que receberão os cds
• Mala direta para divulgação virtual ( 5.000 endereços Eletronicos )
• Convite Eletrônico / Folder Eletrônico
•1  Banner/faixa adesiva na fachada de cada instituição que receberá os cds 

Tipo de incentivo: ( x ) Proac- ICMS/SP

 

 

 

ORQUESTRA POPULAR PAULISTANA

Nº40

Segmento do projeto: música
Gênero:  (X  ) música  
Título do projeto:  Orquestra Popular Paulistana
Local do projeto / nome do local:  (X ) teatro ( X) praças (X  ), escolas, pontos de cultura e comunidades.
Região do projeto / município / estado: São José dos Campos (SP), Suzano (SP), Mogi das Cruzes (SP), São Carlos (SP) e São Paulo (SP).
Valor do projeto:  indique valor numérico e por escrito
O valor do projeto é de  R$149.999,40– quatrocentos e três mil e noventa reais.
Temáticas:  (x )educação  música e tradições populares.
Explicação do projeto: Orquestra Popular Paulistana é um coletivo formado por músicos do grupo A Barca, que tem como foco o diálogo com as tradições populares brasileiras, realizando um trabalho abrangente de produção de espetáculos, pesquisa e arte educação.
O projeto propõe a realização de 5 espetáculos e oficinas da Orquestra em cidades do interior paulista, oferecendo gratuitamente opções de formação e entretenimento a comunidades com acesso restrito a bens culturais. Em parceria com Pontos de Cultura, comunidades tradicionais, bandas estudantis e escolas da rede pública, o
projeto irá integrar o espetáculo à convivência da comunidade explorando o potencial de espaços de lazer não convencionais como praças, galpões, quadras e escolas que deverão continuar a ser ocupados. O projeto prevê ainda a criação de um site para divulgação do projeto, disponibilizando livremente partituras, fonogramas, fotos, textos e trechos em vídeo dos espetáculos.
Sinopse / resumo / comentário:  
O projeto propõe realizar 5 espetáculos da ORQUESTRA POPULAR PAULISTANA nas cidades de São Paulo, São José dos Campos, Suzano, Mogi das Cruzes e São Carlos (SP), sempre apresentado com entrada franca ou a preços
populares. O espetáculo traz um olhar contemporâneo acerca de gêneros tradicionais brasileiros em diálogo com a música de sopros, revelando seus vínculos e particularidades.
Realizar, nas mesmas cidades, ensaios abertos e oficinas gratuitos em módulos temáticos com grupos de 50 alunos – música de roda, percussão, sopros e capacitação para educadores, sempre utilizando material de cultura tradicional e explorando as propostas de criação estética e formação integral do indivíduo possibilitados por ela.
Oferecer aos grupos contatados Kits didáticos com sugestões de exercícios de musicalização, partituras, arranjos para sopros e coletânea de fonogramas do acervo do grupo A Barca sempre tendo como foco o diálogo com as tradições populares brasileiras.
Criar um sítio de conteúdo na Internet para a divulgação do projeto, disponibilizando livremente partituras, fonogramas em mp3, fotos, textos e trechos em vídeo dos espetáculos.
Outros detalhes do projeto: Uma das maiores escolas da música brasileira, as bandas de música há mais de três séculos se mantêm em franca evolução musical. O timbre visceral dos metais e da percussão, essencial na cultura popular brasileira, foi mestiçado, gingado, e se estabeleceu, como música de rua que é, na base de diversos gêneros de nossas tradições populares como o a ciranda, o maracatu rural, o boi de orquestra, o frevo, o carimbó, as folias e inúmeros outros. Estes gêneros, por sua vez, influenciaram significativamente nossa música urbana, do forró ao samba, como ritmos matrizes da estética musical contemporânea. Assim, este círculo de interrelações se afirma e concretiza com a circulação da Orquestra Popular Paulistana por cidades que preservam fortemente a tradição das bandas de música.
Dirigida por Lincoln Antonio e Renata Amaral, músicos e pesquisadores da cultura tradicional brasileira, e tendo ainda como convidado o maestro Ademir Araújo, um dos maiores compositores e arranjadores do Nordeste, Orquestra Popular Paulistana é um diálogo interessante e fundamentado entre a tradição das bandas de música e nossos gêneros populares que busca, em uma ação integrada às vivências e oficinas, valorizar as expressões locais e fomentar a formação e capacitação crítica do público, revelando os Brasis aos brasileiros. 
Estimativa de público e perfil: 
Oficinas: 250 pessoas
Espetáculos e ensaios abertos: 3.000 pessoas
Site: cerca de 35.000 acessos
16.  Plano de Mídia: Cite quais mídias você usará: jornal, se é rádio, filipetas, cartazes; e quantidade de inserções, etc.
Material gráfico: 1.500 Cartazes (42x30cm couchê 180g) e 30.000 convites/postais (10x15cm couchê 150g) distribuídos em locais estratégicos de afluxo do público alvo. 5.000 programas distribuídos nos espetáculos. 2 Banners afixados nos locais das oficinas e espetáculos.
Mailing eletrônico: E-Flyers enviados para um mailing list de aproximadamente 130 mil pessoas, com o apoio da Rede Nacional de Pontos de Cultura e do Ponto de Cultura Convergência Digital
Prospecção e divulgação direta nas comunidades atendidas com contratação de produtores locais e contato com lideranças comunitárias, escolas públicas, cooperativas, associações e Pontos de Cultura.
Divulgação em redes sociais (Facebook, Twiter), MySpace, e outras redes/grupos e fóruns virtuais.
Cotas de patrocínio: 
Uma cota: R$ 149.999,40 – Patrocínio exclusivo – APRESENTA
Duas cotas: R$ 74.999,70 – Patrocínio
Três cotas: R$ 49.999,80 – Co-Patrocínio 
Benefícios oferecidos ao patrocinador: Cite o que você oferece ao patrocinador, se for o caso, além de cotas de patrocínio.
Logomarcas aplicadas em todas as peças gráficas de divulgação (cartazes, postais/convites, programas, banner) e na página inicial do site.
Logomarcas aplicadas nos kits didáticos distribuídos aos grupos atendidos pelo projeto.
Autorização de uso dos registros do projeto para uso institucional da empresa, conforme regulamento
Divulgação do patrocínio da empresa em toda oportunidade de divulgação do projeto, inclusive press-releases de imprensa e entrevistas em quaisquer meios.
Cota de 10% dos ingressos para todos os espetáculos para distribuição interna do patrocinador. 

 

Tipo de incentivo: ( X ) Proac- ICMS/SP